quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Carnaval e Dengue - Publicado por Jairo Len

Os casos de dengue no mês de Janeiro, em São Paulo, diminuiram 10 vezes em relação ao ano de 2008. O que é ótimo, mas não alivia a necessidade de muita proteção.
Além de todas medidas de não proliferação do mosquito, o único jeito de evitar a dengue é a proteção individual contra os mosquitos.
As áreas mais quentes e úmidas (litoral) são sempre mais infestadas pelo mosquito da dengue, que tem como características curiosas:
- Só a fêmea "pica", e preferencialmente durante o dia,
- O mosquito vive pouco, tem hábitos diurnos, não voa "alto" nem por longa distância,
- Cada mosquito pica "só" 3 pessoas durante a vida,
- O pior: cada fêmea infectada coloca cerca de 200 ovos e os mosquitinhos já nascem infectados e podem transmitir a dengue. Os ovos vivem anos no meio ambiente e após períodos de chuva e calor, eclodem.

PROTEÇÃO INDIVIDUAL

O ideal são os repelentes. Em áreas endêmicas, use, sem dúvida, durante o dia e à noite, nas crianças.
As boas marcas do mercado são confiáveis, como o Off Kids, Repelex, Autan Sensitiv, Exposis, além de alguns naturais, como o da Weleda. Particularmente prefiro os "medicamentosos", mais eficazes.
Não confie em pulseirinhas repelentes ou repelentes eletrônicos.
Como qualquer produto para a pele, podem causar alergias - geralmente leves. Neste caso, entre em contato!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.