segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Vacina contra HPV - Postado por Jairo Len

Há alguns anos está disponível para aplicação, exclusivamente nas meninas e mulheres, a vacina contra o HPV (Papilomavirus humano). O HPV é um vírus que causa lesões em pele e mucosas. Existem mais de 200 tipos de HPV, e sua importância está, principalmente, na gênese de verrugas genitais e na sua estreita ligação com o câncer de colo de útero (sorotipos 16 e 18).
O HPV se transmite por secreções genitais e contato direto com a pele infectada. Os homens são importante reservatório, transmitindo com facilidade para as mulheres.
Um dado alarmante: 65% das mulheres tem contato com algum tipo de HPV na primeira relaçao sexual.
A grande maioria das mulheres infectadas (94%) consegue erradicar o vírus em até dois anos. Quando isso não acontece, aumentam os riscos de complicações como o câncer de colo de útero. Tabagismo e alimentação ruim podem agravar o quadro.
A única forma de prevenção realmente efetiva é o uso de preservativos (bem no início de qualquer contato genital, o que é incomum) e a vacina contra o HPV (existem duas no mundo, a Gardasil e a Cervarix).

Feita esta breve introdução, faço um relato do que acontece na Clínica: uma pequena (bem pequena) parte dos pais e mães veem a vacina como um tabu, como se vacinar sua filha (a vacina é indicada para mulheres entre 9 e 26 anos) fosse um prenúncio do início da vida sexual, uma liberação. O que, felizmente, ainda não é uma realidade aos 9, 10 ou 12 anos, nas meninas que tratamos na Clínica. Exceções existem.
Vacinas contra doenças sexualmente transmissíveis são aplicadas desde a maternidade, como é o caso da vacina contra hepatite B.

Eu preconizo a vacina aos 12 anos. Nesta idade a maioria dos pais já percebe que a sua nenê já está se tornando uma mulher de verdade, e vê a vacina de forma mais natural.

O que você acha? Está pronta para vacinar sua filha?
Lembre às mães de adolescentes que esta vacina existe e é extremamente importante. Apesar de ser uma vacina cara, evidentemente sua compravada relação custo-benefício é valiosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.