segunda-feira, 26 de abril de 2010

O sal é o vilão da vez - Postado por Jairo Len

De acordo com pesquisas norte-americanas, o excesso de sal na alimentação mata mais que o cigarro, naquele país. É uma afirmação evidente, uma vez que o sal pode ser excessivo desde a primeira infância, sendo consumido pela vida toda. Sal não é proibido para menores, sal é barato, está à disposição em qualquer lugar e não é (ainda) politicamente incorreto.
Enfim, é o fator (isolado) que é o maior responsável pela mortalidade nos Estados Unidos e, provavelmente, no mundo todo.
Como podemos reduzir o teor de sódio nos alimentos?

Em primeiro lugar, em casa. Oriente quem cozinha na sua casa a usar o mínimo possível de sal. Nem sempre o paladar da "cozinheira" (seja ela quem for...) é regrado para o sal. Apesar de ser uma coisa óbvia, sempre ouço o comentário das mães: "...é...acho que a nossa cozinheira coloca muito sal na comida...". Oriente-a.
Lembre-se que pessoas que tem "gosto" por pimenta na comida, em geral, capricham no sal.
Na cozinha, para uso culinário, procure deixar saleiro "de mesa", e não aquele potinho com sal + colherzinha... Isso já melhora bastante e diminui as doses. E, na mesa, não utilize saleiro.
Lembre-se que pessoas normais não conseguem notar uma redução de 25% no sal da comida. Portanto, diminua.

Acostume as crianças desde cedo a consumirem pouco sal. Papinhas de bebê devem ser reguladas na quantidade de sal (mesmo que os bebês comam melhor com mais sal).

O uso de sal light, hipossódico, também é uma forma de combate ao excesso de sódio na alimentação. Nem todos gostam, mas tenho certeza que quem é acostumado desde cedo não nota diferença. Porém, por ser um pouco menos potente, não adianta exagerar na dose de sal light...senão dá na mesma...

Procure lavar os enlatados e conservas (palmito, milho, ervilha, etc...) antes de utilizar nas saladas. Para as crianças que gostam destes alimentos, como azeitona, por exemplo, é interessante trocar a água (dessalgar, como se faz com bacalhau).

Macarrão instantâneo (do tipo Miojo) é uma tese de doutorado para hipertensão. Cada pacotinho do tempero tem cerca de 95% do sal que um adulto deve comer por dia.
Os salgadinhos e porcaritos de pacote também são uma mina de sal.
Molhos prontos (como o catchup e shoyu) idem:
Cheque os rótulos. Tudo o que contiver mais de 300 mg de sódio por porção (de 30 g) faz mal e deve ser consumido com moderação.

O consumo ideal (máximo) para um adulto é de 6 gramas de sal por dia. Cada pacotinho (daqueles de avião ou fast food) contém 1 g de sal.

Como qualquer coisa na vida, o problema do sal é o abuso, e por longos períodos de tempo. Portanto, até que descubram que o sal faz muito bem para a saúde (como aconteceu com o ovo), os cientistas de Harvard recomendam muito cuidado...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.