quarta-feira, 28 de abril de 2010

Shantala - Postado por Jairo Len

Com frequência as mães me questionam sobre a necessidade e os benefícios de fazer a Shantala nos seus bebês.
A Shantala é uma massagem realizada nos bebês a partir de 1 mês de idade. Sua origem data dos anos 1970, quando o médico francês Frédérick Leboyer, passeando em uma rua em Calcutá (Índia), viu uma mãe, paraplégica, aplicando um ritual de massagem no seu filho. Leboyer fotografou, filmou, acompanhou a massagem durante dias e divulgou pelo mundo. A mãe indiana chamava-se Shantala, daí a homenagem...
Acredito que a técnica atual de Shantala não tenha sido exatamente como a mãe indiana fazia - a história e o sucesso das massagens em bebês transformou a Shantala. Inclusive em um filão extremamente rentável através de livros, óleos, DVDs, paramentação, cursos, etc... Basta dar uma pesquisada na internet para ver como existem milhares de ramificações explorando o tema.
Vamos ao que importa: qual é o benefício da Shantala para a criança?
Acredito que seja muito bom para as crianças, assim como as demais técnicas de massagem fazem muito bem aos adultos (Shiatsu, Ayurvética, etc.).
Ao aplicar a Shantala no seu filho os pais tem um contato interessante com o bebê, silencioso, com carinho, acalmando-o e acalmando-se, hidratando a pele, relaxando e alongando os músculos. Todos ficam mais tranquilos, o sono é melhor.
É claro que você vai achar por aí todas as interpretações e "viagens" a respeito da Shantala (até que ela simula um parto normal!!!), mas eu acho que o maior benefício é o contato entre os pais e filhos. Deixemos os filósofos frustrados abusararem da criatividade...
Só óleos ou cremes de ótima procedência e hipoalergênicos devem ser usados.
Na internet existem centenas de tutoriais ensinando a realizar a Shantala. Apesar na idade recomendada ser nos bebês abaixo de um ano, acredito que em todas as idades as crianças vão se beneficiar com "rituais" como a Shantala.
"Nutrir a criança? Sim. Mas não só com o leite. É preciso pegá-la no colo.
É preciso acariciá-la, embalá-la. E massageá-la. É necessário conversar com a sua pele, falar com suas costas. Que têm sede e fome, como sua barriga. Sim, os bebês tem necessidade de leite, mas muito mais de serem amados e receberem carinho. Serem levados, emb
alados, acariciados, pegos e massageados" [Frédérick Leboyer]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.