segunda-feira, 5 de abril de 2010

Sling - Postado por Jairo Len



Confesso que nunca me agradou ver um recém-nascido sendo carregado em um sling.
Acho que o sling é um modismo reeditado... Sua origem é antiga, você lê relatos de civilizações que há séculos o usavam para transportar seus bebês. Estrelas Hollywoodianas usam, o mundo passou a usar novamente.

Sabe porque o sling não me agrada?
Falo isso do sling "rústico", aquele que - como há séculos - é feito com um simples pedaço de tecido. Alguns, feitos em casa, usam até argolas de cortina...E, claro, de diversos modelos à venda por aí sem qualquer certificação de segurança...

Que os slings são causa de problemas na coluna das mães, isso é comprovado.
Mas você sabia que nos Estados Unidos atribui-se ao sling, nas últimas duas décadas, 14 mortes de bebês?
Por este motivo, uma comissão de lá, o Consumer Product Safety Commission, recomenda que "os pais e responsáveis devem tomar especial cuidado ao carregar bebês com menos de quatro meses nos slings, que podem causar sufocamento". Ainda nas palavras da comissão: "Nos primeiros meses, os bebês não controlam a cabeça pela fraqueza dos músculos do pescoço. O tecido pode apertar o nariz ou a boca do bebê, bloqueando sua respiração e sufocando-o em um minuto ou dois. O sling mantém a criança em uma posição curva, dobrando o queixo em direção ao peito, e as vias aéreas podem ficar comprometidas. O bebê não conseguirá chorar por socorro".

Obviamente você terá segurança ao usar mochilas de transportar bebês (BabyBjorn, Canguru, etc...), que são um pouco mais complicadas de usar, mas certamente mais anatômicas e seguras para os pais e os bebês.
Nem 8 nem 80...
Caso decida-se por usar um sling, compre um que seja feito de forma responsável: slings seguros, certificados, observando-se as restrições e tempo de uso.

"Quando se é demasiado curioso de coisas praticadas nos séculos passados, é comum ficar-se ignorante das que se praticam no presente" [René Descartes - 1596/1650]

Postagem revisada em 10 de março de 2011.

9 comentários:

  1. Eu usei o canguru com meus dois filhos, super útil, mas tenho sérios problemas de coluna até hoje. Acabei usando mais tempo e peso do que devia. Adorei seu blog.

    ResponderExcluir
  2. Porque será que as pessoas que usam e adoram sling rústico tem o mesmo perfil? Já reparou?
    Meio bicho-grilos, às vezes vegetarianas, petistas (enrustidos, hoje em dia), naturebas, odeiam remédios (só gostam de florais)...?????
    Não é cisma...

    ResponderExcluir
  3. Olha...o sling me ajudou muito, porque posso levar meu filho pra todo lugar comigo,dar de mamar a qualquer hora e lugar sem ficar tão cansada porque não preciso segura-lo só com os braços. Aliás, muito mais seguro do que você sugere, porque o risco da criança cair é bem menor do que sem ele, obviamente. Se tem acidentes com slings? Ah, com certeza tem, mas eu acho que pegar 14 mortes em 20 anos como exemplo é muito exagero, não acha? Tenho certeza de que morrem mais crianças de morte súbita, o que é bem mais preocupante já que ninguém sabe como previnir hehe.
    Bem, certificação para sling é complicado,já que ele é apenas um pedaço de pano elástico e respirável que depende da forma como é amarrado pra ser seguro ou não. Depende mais do uso do que do produto. A não ser o ring sling,que as argolas não podem ser abertas e tem que ser de nailon ou alumínio.
    E quanto a coluna da mãe, é, provavelmente deve fazer mais mal do que bem. Mas não vejo como o sling vai fazer mais mal do que sem ele, já que a criança tem que ser carregada do mesmo jeito, não é verdade?
    Enfim, apenas quis colocar um contra-ponto pra você vindo de alguém que usa dois modelos diferentes de sling :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você acha 14 mortes em 20 anos (causadas pelo Sling) um exagero como exemplo, sinto muito, não há como comentar. Quem lida com famílias e filhos sabe o que é, para a família, a morte de uma criança.

      Excluir
  4. Os slings são objetos usados há séculos em culturas orientais e africanas, onde os bebê sobrevivem apesar deles. Será que mesmo sendo tão perigoso, causando mortes de crianças, esse costume seria passado para as gerações seguintes por essas culturas? Sim, aqui no Brasil estamos vivendo uma reedição desse objeto tão útil. E como qualquer coisa que se compre, ainda mais que será usado por um bebê, tem que ser de boa qualidade e fornecedor confiável. Talvez o senho deva ler também os artigos que atestam que bebes que usam slings e ficam próximo ao corpo dos pais têm inúmeros benefícios físicos e emocionais; assim vc poderia mostrar o lado positivo tb aos seus clientes. Além de ser uma ajuda e tanto para as mães que precisam continuar com algumas atividades e não querem deixar o seu bebê chorando no berço ou carrinho. Uso sling desde que minha filha era RN, ela ama, fica confortável, dorme bem e a mim, proporciona uma ótima sensação. Pra mim não há melhor lugar para ela do que perto de mim.
    Se o senhor pensa assim de slings (e duvido que já tenha experimentado um, pois é muito mais seguro que o colo)não quero imaginar o que pensa sobre amamentação, medicação, alimentação do bebê, sono, etc.

    ResponderExcluir
  5. Jairo, desculpe, antes de acusar as 14 mortes ao sling, pesquise melhor e vê se a tradução não foi errada, as 14 mortes são atribuidas ao pouch (que na tradução ficou sling, mas não é o que utilizamos ou que utilizaram os ancestrais que você menciona ai na coluna), desculpe, mas seu blog é desserviço para a saúde (e não sei se você reparou no aumento significativo de pessoas olhando o seu blog, mas você esta sendo ridicularizado em várias grupos de redes sociais como "dotôzinho" que não sabe nem os benefícios de LM, inclusive por outros pediatras. Vergonha não? infelizmente fui uma das poucas a ter coragem de comentar e te alertar sobre isso. E se acha que Descartes tem razão, esta sendo ao mesmo tempo contraditório de utilizar o que um homem escreveu 4 séculos atrás! Bom querido, seu blog é uma grande merda e motivo de gozação por pediatras a fora. principalmente por não buscar informações corretas. Alias, como pode preferir o canguru se as pesquisas internacionais científicas já demonstraram o mal que causam as pernas dos bebês?? E só por curiosidade e criação com apego?? o que acha disso? uma grande besteira? amamentação até os dois anos OU MAIS? somente para os pobres? Não sei nem porque me dei ao trabalho de escrever, talvez para salvar alguns leitoras (e mãenzinhas) de seus posts.

    ResponderExcluir
  6. Jairo Len, acho que houve alguma falha na interpretação ou tradução dos artigos, não foram slings que causaram as mortes. Foram babybags.

    http://slingseguro.wordpress.com/2010/03/26/informacoes-equivocadas/

    Isso foi há 2 anos atrás.

    Até mais.

    ResponderExcluir
  7. Mais um artigo sobre o recall de babybags.

    http://slingseguro.wordpress.com/2010/03/15/atencao-mais-sobre-seguranca/

    ResponderExcluir
  8. BabyBags causaram os acidentes, não slings!
    Eles são completamente diferentes, pois possuem uma estrutura rígida no seu interior, possuem até cinto de segurança e normalmente tem elásticos que fecham o bebê lá dentro. A consequência é esquecer o bebê lá dentro, ficar sem contato visual com o seu filho por sabe Deus qnto tempo. Assim, se ele estiver se sufocando (a estrutura rígida força uma posição indesejada para o bebê) os pais não vêem.
    O sling só traz benefícios para o bebê e é totalmente diferente dos babybags. Dentro do sling o bebê fica em contato com o calor da mãe, fica em uma posição parecida como a que estava no útero materno (diferente dos cangurus que deixam o bebê de pernas abertas e penduradas, com a cabeça sem apoio já no 1° mês de vida) e você sempre tem o contato físico e visual com seu filho. Seus benefícios já foram comprovados. Tanto que existe o projeto Mãe Canguru, que nada mais é que colocar seu bebê prematuro dentro de um sling, em contato com os pais. Isso foi aplicado em algumas maternidades e já foi comprovado sua eficácia na recuperação rápida dos prematuros.
    É muito importante pesquisar antes de publicar! Desinformação é tudo que as mães não precisam e, infelizmente, é o que elas mais encontram por aí.

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.