segunda-feira, 17 de maio de 2010

Termômetros - Postado por Jairo Len

A medida da temperatura da criança é uma daquelas coisas que ninguém escapa...
E a controvérsia do "modo" de aferir a temperatura, idem...
Em primeiro lugar, gostaria de fazer algumas considerações sobre a febre.
A febre é uma reação do organismo que indica a existência de alguma coisa errada conosco - em 98% das vezes, uma infecção. A febre não é benéfica, mas sim uma arma dos vírus e bactérias que a causam para diminuir nossas defesas: acima de 38ºC as reações enzimáticas que deflagram o sistema imunológico ficam paralisadas, diminuindo nossa capacidade de defesa. Portanto, que me desculpem aqueles que adoram não medicar a febre, mas é fundamental que isto seja feito - e de preferência com remédios seguros e eficazes (e não gotinhas de água+álcool oferecidas a cada 10 minutos). Os banhos (que devem ser mornos, agradáveis) tem um efeito transitório e devem ser feitos para deixar a criança mais tranquila e relaxada até o efeito dos medicamentos.
Saber se a temperatura está maior ou menor que 38º ou 39ºC tem certa importância, principalmente em algumas faixas etárias - em recém-nascidos a temperatura vai definir exatamente a conduta médica. Para as crianças mais velhas, não existe tanta importância na exatidão: 38,2 ºC e 38,7ºC não fazem diferença.
Medicar a partir de determinada temperatura (37,3ºC ou 37,8ºC): não existe regra. Mas se a criança estiver com febre baixa e já caída, com mal estar, medique...
No dia-a-dia da prática pediátrica vejo de tudo: desde mães que medem e anotam a temperatura com duas casas decimais (38,72ºC) até aquelas que me dizem: "- a febre estava bem alta...mas você sabe que eu não uso termômetro...".

TIPOS DE TERMÔMETRO
Uma vez que não precisamos exatidão decimal na medida de temperatura, não há necessidade de um termômetro com extrema acurácia.

O mais exato de todos é o termômetro de mercúrio, que deve ser deixado na axila da criança parada por 4 minutos (este é o problema...parada e por 4 minutos). Para os recém-nascidos e crianças mais velhas, é o melhor.


Os termômetros digitais dependem demais de sua qualidade para dar temperaturas mais certas. Existe de tudo. Desde os chineses de 2 dólares até os chineses de 50 dólares (todos são Made in China). Acho que a maioria deles quebra o galho. Alguns medem em 5 segundos, outros em 2 minutos. Sempre recomendo que as mães e pais façam alguns testes antes de colocar em prática, que meçam sua própria temperatura, que comparem com um termômetro de mercúrio. Muitos deles, quando a bateria começa a ficar fraca, dão temperaturas totalmente erradas (mas sem avisar você que a bateria está fraca). Preste atenção.


Os termômetros de chupeta são esquisitos... Apesar de terem certificação, ninguém gosta muito. Eu não gosto. Acredito que a própria fricção de uma criança sugando forte pode aumentar a temperatura. Se acabou de mamar, idem...



Os termômetros de orelha são bons e práticos, mas dependem de certa habilidade para funcionarem com mais precisão - e também que o problema causador da febre não seja no ouvido (como uma otite, por exemplo).


Os termômetros de contato e, melhor ainda, os termômetros infra-vermelhos são, para mim, os ideais. O termômetro infra-vermelho é o que eu uso em casa e na Clínica. Apesar de não ter precisão decimal, é extremamente prático (mede em 1 segundo), higiênico (não encosta na criança), pode ser usado no meio da noite sem acordar seu filho, tem "luz própria" (seu visor é iluminado e ele tem uma luz vermelha que indica a distância exata entre ele e a testa da criança). Uso nas consultas e posso dizer que ele dá uma noção bastante precisa da temperatura da criança. Além disso, para os que gostam de exatidão, ele serve para medir temperatura de superfícies, como a água do banho.


E existe ainda o termômetro de avó. Diariamente as avós tentam me convencer (e estão quase conseguindo) que, mais do que toda esta parafernália, não existe nada mais exato do que encostar os lábios na testa da criança para saber o que deve ser feito...

Um comentário:

  1. Jairo, seus comentários são ótimos...realmente o termômetro da vovó é bom.......gotinhas a cada 10 minutos tô fora....e saber que tem mães que anotam a febre com 2 casas decimais...me faz achar menos neurótica....
    quanto ao digital eu tenho 1 há mais de 5 anos...e bem que percebi que ele demorava para apitar,e depois que me toquei que ele não tem como trocar pilha e nenhum aviso de bateria fraca....ontem mesmo comprei um novo.
    beijos
    Bia

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.