quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Intolerância à lactose e Alergia à proteína do leite de vaca - Postado por Jairo Len

A intolerância à lactose (IL) e alergia à proteína do leite de vaca (APLV) são duas "doenças" distintas, mas que tem muitos sintomas em comum.
A confusão é generalizada, pelos pais e pelos pediatras.
Mesmo que não faça parte do seu currículo-médico/familiar, sempre existe alguém por perto que tenha um filho nestas condições e acho que vale a pena (tentar) entender um pouco mais do assunto.
Intolerar a lactose (IL) significa ter alguma dificuldade na digestão da lactose, que é o carboidrato do leite (de vaca, de cabra, materno). Não é comum em crianças - aparece mais quando crescemos... Nas crianças, o que vemos é ficarem temporariamente intolerantes à lactose após uma diarréia forte. Dura uma ou duas semanas, e tudo volta ao normal. É o que mais vemos.
Em alguns casos, a IL aparece sem motivos, nos primeiros anos de vida. Tenho alguns pacientes portadores de IL "crônica". Eles tem, em geral, muitas dores de barriga, náuseas, episódios diarreicos.
O tratamento da intolerância à lactose é a retirada da lactose da alimentação. Como todos os leites (vaca, cabra...) e derivados contém lactose, a solução são os leites à base de soja ou os leites com baixo teor de lactose (ex.: Zymil) ou isentos de lactose (NAN sem lactose, Enfamil sem lactose). Para os casos crônicos, existem os comprimidos de lactase (a enzima que digere a lactose), importados. Muitos intolerantes à lactose conseguem tomar pequenas quantidades de leite e seus derivados, escolhidos a dedo.

Já a alergia à proteína do leite de vaca (APLV) é uma condição comum nos bebês, mesmo aqueles amamentados exclusivamente ao seio, e pode durar toda a infância. Mas é raro nos adultos. As mães nutrizes, mando ingerem leite de vaca e seus derivados, produzem leite com estas proteínas - que podem causar alergia nos recém-nascidos. Os sintomas nos bebês são as cólicas fortes, refuxo, obstipação intestinal, sangramento intestinal, eczemas de pele e até distúrbios respiratórios, como tosse, chiado. O tratamento é a isenção de 100% do leite de vaca/derivados que a mãe nutriz ingere ou a retirada de 100% do leite de vaca da dieta da crianças. Alguns se beneficiam com fórmulas de soja, mas a alergia cruzada (à soja também) é comum. Existem fórmulas especiais, como o Pregomin, Alfaré e Neocate, feitas especialmente para estas crianças. Caríssimas, mas que atualmente são fornecidas pelo Governo (através de uma Via Crucis, do Pretório ao Calvário). O leite de cabra não é uma boa opção, por conter proteínas semelhantes à de vaca e por ser paupérrimo em diversos nutrientes.

O diagnóstico para as duas condições, IL e APLV, é basicamente clínico - mas alguns exames laboratoriais eventualmente são solicitados. Fazemos as "provas terapêuticas", troca de leites, testes cutâneos caseiros. A história familiar é importante.
Viu como parece e é confuso, imbricado, sobreposto? É sempre assim. O importante é, com paciência e colaboração do pediatra e da família, se chegar a uma conclusão e ajudar a criança.


Será que nas outras espécies isso existe?

4 comentários:

  1. Gostei!!!
    Obrigada-Luciana Natenzon

    ResponderExcluir
  2. Lembro bem da dieta que fiz quando o Dudu nasceu....se comesse um pedacinho de qualquer coisa com leite ou queijo na outra mamada ele chorava e saia um pouco de sangue nas fezes....pelo menos emagreci na época...Foi nessa época que aprendi a tomar Ades ou similar.
    Agora dá-lhe Vigilantes do Peso.....aiaiaiai por que não mantive aquele peso...

    Beijos ,
    Bia

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Já algum tempo que não passava por aqui, mas mantenho a minha opinião sobre este blogue: interessantíssimo!
    Espero também a sua visita e os seus comentários nas postagens que lá tenho. Comente as que quiser!

    O link é:
    http://blogsabernaoocupalugar.blogspot.com

    Cumprimentos.

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigado pelos esclarecimentos!!!!
    Sou mae de um bebe com APLV.
    Agora que introduzimos Neocate ele mostra melhora!!

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.