quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Sobre remédios e infecções - Postado por Jairo Len

Algumas notícias sobre medicamentos me chamaram atenção nesta semana.
A primeira delas, que acho importante que todos saibam:
"Entidade britânica detecta sibutramina em fitoterápicos não autorizados" - na Inglaterra, país sério de primeiro mundo, sibutramina foi encontrada em medicamentos fitoterápicos comercializados como auxiliares de perda de peso. Destes vendidos na internet, sem receita, que cada um compra como quer (pelo menos aqui no Brasil). Análise do chá Payouji e das cápsulas Pai You Guo Slim realizada pela fiscalização de medicamentos do Reino Unido revelou que ambos continham a substância. A informação foi publicada no site da "BBC News".
Não estou dizendo que no Brasil todas as cápsulas milagrosas emagrecedoras contenham substâncias fortes e controladas (sibutramina, fenilefrina, fenproporex, anfetamina, diuréticos, hormônios...), mas devemos ter muito cuidado. Já tive experiências com "medicamentos fitoterápicos" emagrecedores que causaram reações importantes em pacientes (que compraram sozinhos, pela internet). Muito cuidado.
Quer comprar Caralluma Fimbriata ou Faseolamina? Peça para o seu médico, se ele conhecer estes fitoterápicos, formular em uma ótima e confiável farmácia de manipulação.
Outra notícia que li é que a ANVISA regulamentou a venda de antibióticos com retenção da receita médica. Daqui a 60 dias está valendo. Fantástico... Sempre fui a favor disso. Mas acho que o Brasil ainda não está preparado para que isso seja posto em prática. Aqui não temos medicamentos fracionados, que são vendidos na quantidade exata. Vendem-se caixas inteiras para 7 dias. Se precisar complementar o tratamento até 10 dias, ou compre antes (mais uma caixa para 7 dias), o que eleva os custos, ou arrume outra receita. Fácil, para quem tem acesso a médicos particulares ou dinheiro.
A população, em geral, vai comprar uma caixa só. A outra (autorizada pela receita) fica para o balconista comercializar como queira. Não falo de Drogasil, Raia ou Onofre. Isso é minoria no Brasil.
A ANVISA também exige que, a partir de agora, o uso do álcool gel seja obrigatório nos hospitais e nas clínicas públicas e particulares. Macacos me mordam... Lá na Clínica Len de Pediatria temos dispensers de álcool gel em cada sala de consulta e nas salas de espera. Bem antes da gripe suína, bem antes da superbactéria KPC. É uma medida mínima de higiene. Mas não é este o ponto.
Ao mesmo tempo que a ANVISA exige isso e dezenas de outras coisas de uma Clínica (é inimaginável o número de itens necessários ao alvará de funcionamento), ela "permite"  que nos hospitais públicos sejam depositados pacientes no chão e no corredor, sem banho diário, sem materiais descartáveis, sem qualquer mínima condição de dignidade, em cenas que parecem o atendimento pós-terremoto do Haiti.
Mas não esqueça de limpar as mãos com álcool gel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.