quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Stress infantil - Postado por Jairo Len

O bullying é um assunto que sempre está na cabeça dos pais, sempre preocupados que seus filhos sejam vítima deste tipo de agressão.
E as crianças? O que pensam a respeito?
A pesquisadora Ana Maria Rossi, que faz parte do International Stress Management Association (ISMA), descobriu que o bullying não é a principal causa de stress infantil. Em um estudo com crianças de sete a doze anos (220 crianças do RS e SP) a conclusão é outra: as críticas e desaprovações dos próprios pais citadas por 63% das crianças consultadas – incomodam mais que bullying. O excesso de tarefas e de rotina é citado por 56% e o bullying aparece em terceiro lugar, com 41%.

Esse stress leva, como já é sabido, a dores de cabeça, barriga e pouco ânimo para sair de casa. Muitas destas crianças procuram se esquivar da rotina, no que é chamado pelos psicólogos de "benefício secundário". Dores que podem fazer a criança fugir um pouco da rotina, das broncas em casa e hostilidade dos colegas na escola.

Na Clínica eu me deparo com situações cotidianas que sem dúvida levam as crianças ao stress. Crianças que não gostam muito de esportes são "obrigadas" a uma rotina extenuante de clube, natação, tênis, judô, atividades circences, ballet. Fora a escola em período semi-integral, inglês extra, kumon, mandarim (!!), catecismo. Alguns também fazem fonoaudióloga e psicóloga (esta para rebater as pressões todas...). Bebês de seis meses  já fazem natação, iniciação musical e artes plásticas.

É claro que, se a criança gosta de tantas atividades e não está com uma "fadiga crônica infantil", tudo bem. Mas temos que lembrar que as crianças precisam brincar. Atividades livres, tempo livre em casa ou com os amigos, para inventar o que quiser (sem professores e monitores). Muitos pesquisadores afirmam que para as crianças o brincar pode ter o efeito de uma terapia. A ludoterapia é o maior exemplo disso. Não tenho dúvidas que as crianças fazem uma "auto-ludoterapia" diariamente...desde que deixemos elas bricarem.

3 comentários:

  1. Dr. Jairo,
    Escrevo um blog para as maes brasileiras que moram em NY. A maior reclamacao delas (e minha) aqui é a diferença no approach da medicinha. Os médicos não são pessoais como no Brasil e isso faz a maior falta!
    Parabens pelo blog!
    Paula

    ResponderExcluir
  2. Jairo,
    ontem ,no GNT, passou um documentário chamado "Pais Neuróticos", que fala dos pais que colocam pressão e rotina na vida dos filhos por insegurança própria. Falava de crianças no Canadá com 3-5 anos que frequentam escola de aula particular para preparar as mesmas para entrar nas disputadas escolas particulares.Pais que colocam filhos em 2-3 tipos de atividades esportivas para o filho ser um atleta....aulas no KUMON para ser o melhor aluno.....
    Tem relação com esse post e com aquele mais antigo sobre colocar filhos nas escolas top 10 ,fazendo testes tipo vestibular com menos de 7 anos......
    O GNT costuma reprisar ,vale a pena ver....
    Bia

    ResponderExcluir
  3. Dr., estou lendo um livro muito bom que trata exatamente desse assunto: "Einstein teve tempo para brincar" - recomendo!
    Abço,
    Roberta, mãe dos gêmeos Rute e Miguel
    http://familiamimi.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.