domingo, 28 de novembro de 2010

Antibióticos: só com receita médica - Postado por Jairo Len

A partir de hoje, a venda de antibióticos (inclui pomadas, gotas otológicas e colírios à base de antibiótico), no Brasil, só será feita com retenção da receita médica.
A medida da ANVISA é prá valer: hoje uma paciente minha não conseguiu comprar um Tobrex (colírio)...
A regulamentação da ANVISA pode soar exagerada, mas é extremamente correta. Em nenhum país civilizado ou meio-civilizado do mundo você compra antibióticos sem receita.
Aliás, nem antibióticos, nem cortisona, nem brocodilatadores.

A auto-medicação com antibióticos não é uma solução, nem mesmo em um país em que o acesso à medicina (boa, má ou péssima) é bem difícil pela população de baixa renda.

É claro que, para os médicos, a compra de um antibiótico sem receita às vezes é seria importante... Um exemplo? A mãe me liga e conta que, após uma noite de dor de ouvido e febre alta, há saída de secreção purulenta por um dos ouvidos de seu filho. Uma "otite média supurativa". Eles estão em Barra do Una, litoral norte de São Paulo. O hospital mais próximo é em São Sebastião (e quem já foi jura que não volta)...
Evidentemente é uma doença que, mesmo sem examinar, sabemos que o uso de antibiótico será fundamental. O que fazer? Só o tempo e as circunstâncias vão nos ensinar.
Nas viagens ao exterior, meus pacientes recebem uma receita de "farmácia básica" que salva muitos passeios. Quem sabe valha a pena ter esta farmacinha nas viagens pelo Brasil?
Nesta receita de farmacia básica, a primeira frase é: não use qualquer um destes medicamentos antes de entrar em contato conosco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.