quinta-feira, 11 de novembro de 2010

E-drugs e Eyeballing - Postado por Jairo Len

"Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que diz respeito ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta".
Com esta frase de Albert Einstein, eu inicio a postagem de hoje, explicando, aos que ainda não conhecem, duas formas novas que demonstram a infinitude da estupidez humana.
E-drugs - as drogas sonoras digitais existem à venda na internet, e ainda não foram proibidas em nenhum país. As e-drugs nada mais são do que sons diferentes emitidos em cada ouvido ao mesmo tempo, que provocam reações no cérebro capazes de deixar o usuário eufórico ou relaxado, de acordo com sua preferência. Consome-se com headphones.
"Estamos cada vez mais próximos de uma geração em que alguns indivíduos entrarão na dependência eletrônica", explica o neuroradiologista e coordenador do Instituto do Cérebro do Einstein, Dr. Edson Amaro Jr. As e-drugs não tem nada a ver com o "vício" em computador e internet que muitos tem. 
As e-drugs são ondas sonoras simples e com diferentes graus de sofisticação. Na hora da utilização, geralmente são moduladas por algum outro estímulo - como a frequência respiratória ou cardíaca do usuário - e variam na cadência de algum parâmetro do processamento mental do indivíduo.
As drogas sonoras digitais funcionam como uma hipnose acústica, que pode levar alguns à sensação de prazer ou ser considerada bastante chata por outros - o mesmo que acontece com algumas drogas, como a maconha.
"Certamente qualquer estímulo repetitivo aplicado com rotina poderá ser, em grau maior ou menor, uma fonte de dependência", afirma o neuroradiologista.
"As e-drugs são uma descoberta cujos efeitos ainda permanecem sem o conhecimento científico e que começam a ser utilizadas em larga escala. E merecem atenção porque, como qualquer outra novidade na internet, têm velocidade de expansão assustadoramente rápida",  conclui.
Fonte das citações: Folha.com

Eyeballing - Chega a parecer piada. Este nome é o que se dá à brincadeira estúpida de se consumir vodka através dos olhos. Pingá-la nos olhos como um colírio. A vodka "ocular" (com 40% de álcool) será absorvida, como se fosse bebida. O álcool pode causar queimaduras na córnea e na mucosa. Danos, muitas vezes, irreversíveis. Há casos de cegueira descritos após o eyeballing, na Europa e nos Estados Unidos.

2 comentários:

  1. que absurdo!
    Será que a juventude agora está pior ou a velocidade da informaçnao é que nos coloca a par de tudo com maior rapidez? Sempre eixstiu a "turminha das drogas" e a dos "caretas". O que faz com que um adolecente siga um ou outro? Estrutura familiar? Falta de oportunidade? Criar filhos nNao é fácil não....
    Obrigada pelos excelente post Dr. Jairo

    ResponderExcluir
  2. (Chocada!) Que medo...não tinha ouvido falar de nenhuma das duas "modalidades"!!!

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.