segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Gagueira fisiológica - Postado por Jairo Len

É comum a criança começar a gaguejar entre dois anos e meio e quatro anos de idade.
Na maioria das vezes é a gagueira fisiológica (cujo nome científico é Disfluência Fisiológica). Há quem chame a gagueira infantil/transitória simplesmente de "disfluência" e, quando é mesmo uma doença, chama-se de "gagueira".
Independente das denominações, a preocupação dos pais é que esta guagueira não seja a transitória...que seja a gagueira mesmo, que acompanha a pessoa por toda a vida.

Como diferenciar a disfluência fisiológica/transitória da patológica?
- Inicialmente lembre que a chance de uma disfluência que começa entre 2 anos e meio e 4 anos ser patológica (doença) é mínima.
- Se a gagueira durar mais de seis a oito meses, um fonoaudiólogo deve ser consultado.
- Outro fator importante é a gagueira acompanhada de movimentos corporais repetitivos - estas podem ter maior relação com disfluência permanente. Como mímicas faciais, falar com a mão no momento da gagueira, bater os pés, levantar os ombros, piscar os olhos.
- Existe uma relação genética na gagueira, porém não é comum.
- As disfluências que se iniciam após esta idade (4 anos) devem ser avaliadas, sempre. Ainda que possa existir gagueira transitória na infância e adolescência, é exceção.

Como ajudar a criança com disfluência fisiológica/transitória?
- Olhe no rosto da criança,
- Procure não completar a frase para a criança,
- Ouça até o fim, não interrompa a criança (mesmo se entendeu o que ela tenta dizer)
- Não demonstre pressa ou ansiedade,,
- Não recrimine, não peça "calma", não peça para a criança "respirar" ou "relaxar"...
- Se a criança se mostrar preocupada com o próprio problema, explique o que se passa, que não há problema, que "logo passa"... Enfim, a auto-estima deve ser preservada ao máximo. Gagueiras não são problemas psicológicos, ainda que situações de estresse emocional possam piorar demais a disfluência.

E no caso de estar diante de uma gagueira patológica (permanente), lembre-se que existe cura, desde que a terapia fonoaudiológica comece na hora certa.

Um comentário:

  1. Dr. Jairo, boa tarde. Gosto muito do seu blog e dos seus posts, são muito elucidativos. Você poderia por favor escrever sobre Bruxismo? Meu filho de 7 anos range muito os dentes.
    Abs,
    Fernanda

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.