terça-feira, 23 de agosto de 2011

Coqueluche - Postado por Jairo Len

A coqueluche é uma das doenças mais importantes que pairam pela humanidade. Existe e é descrita há séculos (primeiros relatos no século 16), e ainda é incidente nas "melhores famílias". No mundo, são relatados 48 milhões de casos novos anualmente.
A causa é uma bactéria, a Bordetella pertussis, e o principal sintoma é a tosse (whooping cough - tosse comprida), em crises, levando a falta de ar e insuficiência respiratória.
Recentemente tivemos, lá na Clínica, um caso confirmado e um fortemente suspeito. Dois bebês com menos de dois meses de idade. Nesta faixa etária a doença é importante.
As crianças recebem a vacina a partir dos 2 meses de idade, ficando protegidas, por conta dos reforços, até os 12 anos. A vacina é a tríplice - DTP - aonde o P é de pertussis. Aos 12 anos os nossos pacientes adolescentes recebem um novo reforço, através da DTP adulto.

Mas os bebês até os dois meses estão sem defesas para a coqueluche, que pode ser adquirida dos adultos (pais, avós e cuidadoras) - porque nestes adultos o quadro clínico pode ser mais brando e arrastado, ficando meses com a doença, sem diagnóstico.

O objetivo deste post é lembrar que esta vacina - a DTP adulto - é importante de ser aplicada nos pais, babás e enfermeiras - tanto para a proteção individual como forma de proteger os recém-nascidos. Em alguns estados (norte-americanos, claro) já faz parte do calendário vacinal das grávidas e do pai.
Além disso, a vacina protege contra o tétano.

Você se lembra de quando recebeu a última vacina contra coqueluche e tétano?

Já viu este cartaz em português? Será que o Ministério da Saúde do Brasil está preocupado com a coqueluiche?

2 comentários:

  1. Dr. Jairo,
    E aquela tosse super comum aqui nos EUSA chamada "croup cough" que parece um cachorro latindo.
    Tem isso no Brasil? Aqui todo mundo pega croup e ai eu nunca ouvi ninguém dizer que teve....

    ResponderExcluir
  2. Oii, muito bom o blog, siga também o http://operacaodietas.blogspot.com/ pra trocarmos ideias, parabens, estarei sempre passando por aqui, abraços

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.