quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Shampoo Johnson & Johnson é cancerígeno? Postado por Jairo Len

Publicações na mídia norte-americana e por aqui no Brasil acusam a farmacêutica Johnson & Johnson de utilizar em seus shampoos as substâncias 1,4 dioxano e formaldeído.

De acordo com inúmeras instituições de pesquisa e controle cosmético (por exemplo, a safecosmetics.org e www.ewg.org), estes dois produtos químicos tem poder carcinogênico, e estão presentes em muitos shampoos infantis da marca.

A J&J se defende, com o seguinte texto, que retirei do site da própria empresa:
"Declaração sobre a formulação dos produtos JOHNSON´S® baby.
Os ingredientes usados na linha JOHNSON´S® baby, incluindo os conservantes que liberam traços de resíduos de formaldeído, têm o objetivo de proteger o produto da proliferação de bactérias nocivas. Estes conservantes são seguros e aprovados pelos órgãos regulatórios em cada país ou região onde os produtos são comercializados, incluindo Brasil, Estados Unidos, União Europeia e China. Alguns produtos podem conter formulações diferentes ao redor do mundo, e todos estão em conformidade com as premissas legais de cada órgão regulatório, bem como dentro dos padrões de segurança da empresa. Importante ainda esclarecer que, mesmo não representando risco à saúde e mantendo seu compromisso de sempre responder a demanda de alguns consumidores que vêm demonstrando preocupação sobre o formaldeído e o 1,4-dioxano em produtos de higiene pessoal para crianças e bebês, a Johnson & Johnson vem trabalhando na reformulação da sua linha de produtos JOHNSON´S® baby desde 2009. Com isso, a empresa assumiu o compromisso de reformular gradualmente os produtos que contêm essas substâncias em sua formulação. Já reduzimos globalmente o número de formulações contendo formaldeído em 33% e 70% dos produtos da linha baby foi reformulado em relação ao 1,4-dioxano."

O que eu acho?
Em uma era de tanta preocupação em produtos seguros para a saúde, orgânicos, carbono-zero, as indústrias farmacêuticas poderiam se preocupar mais com os ingredientes de suas fórmulas, mais ainda aquelas voltadas para crianças e recém-nascidos. Olhando nos sites especializados que eu listei acima, você pode ver que a cobrança em cima dos produtores não é de hoje, e as providências já poderiam ser tomadas.
Faça suas boas opções de compra, leia a composição (evite os produtos que contenham componentes PEG 80 e sodium myreth sulfato, por exemplo).

A liberdade de escolha foi feita para isso.

2 comentários:

  1. Talvez antes o poder do consumidor, hoje muito forte atraves das redes sociais, nao fosse tao determinante nas acoes e providencias q uma empresa fosse tomar... E no final, eh ele quem determina o sucesso ou fracasso dessa empresa, independente da midia... saudades de vcs, Dr. Jairo!

    ResponderExcluir
  2. Ai tudo faz mal. Vou continuar usando esse xampu.

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.