quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Lei da Palmada é aprovada - Postado por Jairo Len

A votação ainda vai para o senado, mas a Lei da Palmada foi aprovada pela câmara dos deputados ontem.
Já me perguntaram algumas vezes o que eu acho desta lei - que proíbe e pune os pais que fizerem qualquer tipo de violência física em seus filhos. Mesmo uma "palmada".
Já existe a proibição de bater em crianças no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), mas não há uma forma de punição bem direta aos pais, coisa prevista em lei, aonde a polícia pode resolver o problema (como agora com a Lei da Palmada).
Estas leis visam proteger as crianças de sevícias físicas, espancamento, maus tratos, e a "síndrome da criança espancada".
Não acredito que os deputados realmente estejam pensando naquela palmada "educativa" que quase todos nós (acima dos 30 ou 40  anos) recebemos dos nossos pais, e sim nos exageros que vemos o tempo todo por aí.
O problema: é tênue a linha que separa as duas situações e isso depende de inúmeros fatores culturais, sociais e econômicos. A meu ver ninguém vai chamar a polícia porque um pai deu um tapa na mão do seu filho que estava colocando um clips na tomada 110 volts (após o pais ter pedido dez vezes que a criança não faça aquilo).
Mas ficará mais fácil denunciar os pais de crianças que estão recebendo maus tratos físicos.

É claro que não faltam leis neste país - falta civilidade e falta que as leis sejam cumpridas.
De qualquer forma, acho a lei válida, desde que posta em prática com bom senso. Resta saber se as incríveis estatísticas sobre a síndrome da criança espancada vão diminuir.

Em tempo, a meu ver também deveriam ser severamente punidos aqueles que promovem a falta de remédios para doenças crônicas em crianças, falta de vagas e professores bem remunerados em escolas, de merenda escolar de qualidade e de leito em hospitais infantis. Cadeia para eles!

O problema é mundial e acredito que a lei seja para inibir abusos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.