quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Segurança dos filhos na internet - Postado por Jairo Len

A internet trouxe a liberdade que muitos sentiam falta devido à insegurança das grandes cidades. Na frente do computador você passeia pelo mundo todo, conhece pessoas, faz amigos e conversa com os velhos amigos.
É sabido e falado que nós, pais, temos que controlar o que os filhos fazem e visitam na internet. A maioria dos pais de pacientes, quando conversamos sobre o assunto, se mostra preocupado mas confessa que não faz um controle "eficaz". E este controle é importante em todas as idades. Dos 5 aos 10 anos, principalmente pelo conteúdo visitado. Entre os 10 e 18 anos, além do conteúdo visitado, as redes sociais e o rastro deixado pelos filhos na internet.
Existem inúmeras publicações sobre como melhorar um pouco esta segurança, ultimamente andei lendo um pouco dos conselhos, até porque a informática evolui bem mais rápido que a medicina. Se temos que estudar medicina diariamente, a informática não fica atrás.

Existem inúmeros programas e ferramentas de controle de acesso. Na Clínica e em casa eu uso um chamado InterApp Control. Com este programa você pode bloquear quaisquer tipos de sites e ações. Como por exemplo downloads, sites de conteúdo sexual, qualquer uma das redes sociais, upload de fotos, msn, mudanças de configuração do próprio computador, instalação de novos programas, etc. Além de ter um registro de todas as ações do computador. A cada clique, são feitas fotografias das páginas, à sua disposição. Parece neurose... Não acho que ninguém deva fazer isso rotineiramente - vai ficar louco... Mas assim como filmagens de câmeras de segurança, com este programa você pode saber tudo o que se passou no computador. Vai saber... Li na internet uma história simples: filho de 7 anos fazendo buscas escolares sobre a Grécia. Numa das páginas, a palavra "bustos". Clicou, link para o Google. Imaginou?
Destas centenas de ferramentas de controle, muitas estão inclusas nos antivírus (Norton, McAfee, Avast...)

Recomenda-se o óbvio: fique amigo do seu filho em todas as redes sociais que ele participa: msn, facebook, orkut (dureza...), linkedin, twitter. Mesmo a contra gosto. Afinal, na vida real você tenta saber quem são os amigos, os pais de amigos, aonde moram, o que fazem. Na rede não deve ser muito diferente.
Converse com os adolescentes sobre isso, assim como conversa sobre as formas normais de amizade e atividades que eles fazem.

De vez em quando, dê um Google no nome dos seus filhos, principalmente os maiores. Veja as imagens linkadas, os links em que seus filhos aparecem.

Para os menores (5 a 10 anos) existem buscadores infantis, como o Zuggi (www.zuggi.com.br). É uma espécie de Google, mas com filtros automáticos e resultados, em geral, voltados às necessidades das crianças - como pesquisas escolares, joguinhos, desenhos...
Para esta faixa etária, prefira computadores em áreas "comuns" da casa, aonde transitem e circulem adultos. Cuidado com tablets (iPad), aonde existe menor chance de ferramentas de controle.

Utilize programas antivírus e faça escaneamentos com frequência. Atente-se a isso. A maioria das pessoas não fica em cima do antivírus, deixa ele trabalhar sozinho.

Regras existem em todos os planos da nossa vida moderna, e os filhos devem aprender que o uso de computadores tem regras e limites, que se descumpridos devem levar a alguma consequência. Quem sabe é a oportunidade de ensinarmos as coisas desde cedo...afinal um bebê de 1 ano já sabe desbloquear um iPad com movimento de slide e muita vezes colocar a senha.
Aproveite. O século 21 chegou há mais de 10 anos.

Olha a nova amiguinha dela...






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.