quarta-feira, 14 de março de 2012

Herpes simples e transmissão - Postado por Jairo Len

O Herpes Simples (HS) é um dos vírus mais frequentes em humanos, no mundo todo.
No meu dia-a-dia, além das gengivo-estomatites herpéticas em crianças, uma dúvida muito frequente é se pai, mãe ou babá, com herpes labial ativa, passam a doença para seus filhos.

Gengivo-estomatite por herpes tipo 1
Uma breve pincelada sobre a doença: Setenta por cento das crianças que tem contato com o herpes simples tipo 1 (o tipo 2 é o herpes genital, não falarei sobre isso hoje) vão ter uma doença bem chata, a gengivo-estomatite herpética. Febre alta, irritabilidade, lesões dentro da boca (aftas brancas) e lesões ao redor da boca, inapetência total. Em cerca de 5 dias estão melhores, ficando zeradas em dez a quinze dias. Espalham o vírus por 3 semanas.
Cerca de 30% dos infectados tem uma doença sem sintomas, só um mal estar, febre baixa.

Inicialmente, todos ficam ótimos e curados.

Ocorre que em uma pequena parcela, 1 a 2% dos infectados, o vírus permanece vivendo, latente, em um gânglio da região da cabeça ou pescoço. E de vez em quando, desencadeado por stress, frio, sol, outras doenças...este vírus reaparece, de uma forma bem mais branda (e muito chata), na forma do herpes labial. Em alguns casos, este reaparecimento é na pálpebra, nariz, pescoço.
Você certamente conhece alguém que tem herpes labial, senão você mesmo... É chato, coça e dói, esteticamente muito chato, tira o humor e...é transmissível.

Estas feridinhas são uma fonte de transmissão de herpes vírus tipo 1 (HS-1). 

Herpes simples labial

Portanto, pergunta respondida: herpes labial é contagioso. Bebês e crianças podem pegar - mas tem que haver contato direto ou indireto com a secreção da ferida. Não passa pelo ar. Mãos sujas, copos e objetos aonde exista esta secreção, beijos no rosto.
Se a criança ou adulto já teve infecção pelo HS-1 anteriormente e curou, não vai pegar novamente. Muitas vezes nem sabemos se tivemos, porque a doença pode ser assintomática.

Então sempre que alguém estiver com herpes labial e ao mesmo tempo contato com crianças, tem que tomar muito cuidado para não coçar a ferida e...deve viver com álcool gel no bolso. Copos e talheres devem ser bem lavados. Água de piscina não costuma passar herpes, nem vasos sanitários.
Na verdade, como o vírus não tem asas, o ideal é não tocar na ferida - porque assim a doença não tem qualquer risco de contágio.

As crianças com gengivo-estomatite herpética transmitem muito a doença, e devem ser afastadas do contato com outras crianças por 2 a 3 semanas.

E os portadores de herpes labial devem, assim que imaginarem que as feridas vão aparecer (coceira, formigamento...) iniciar as pomadas anti-virais - que são úteis quando passadas antes das primeiras 48 horas. Se iniciadas depois disso, não ajudam mais. Idem para os remédios por via oral.
Infelizmente ainda não existe tratamento definitivo (cura) para estas lesões recorrentes do herpes vírus tipo 1.

Um comentário:

  1. Esse vírus é muito frequente e causa uma dor muio grande!
    O tratamento que pessoalmente recomendo é o penvir porque me ajudou muito.

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.