segunda-feira, 14 de maio de 2012

Você é mãe o suficiente? - Postado por Jairo Len


Com esta provocativa manchete ("Você é mãe o suficiente?") a revista Time estampou sua capa, numa reportagem avaliando a maternidade e focando especificamente o aleitamento materno.
É óbvio que a cena de um menino de 3 anos mamando em pé, na sua mãe (de 26 anos) provocou muita polêmica nos EUA, reações de grande parte de uma sociedade conservadora - assim como no mundo todo. A intenção da revista era exatamente essa.
Daí começam os milhares de questionamentos, até que idade uma criança deve ser amamentada ao seio, que em cada ponto do planeta a coisa é diferente, que alguns consideram cenas como essa uma espécie de incesto (sério!!!, eu li isso), opiniões diversas, etc, etc, etc..

Entendo perfeitamente a Time, no sentido de querer ser polêmica e dar combustível às irracionais defensoras do aleitamento materno até o casamento do seu filho/bebê.

Mas acho que ser "mãe o suficiente" passa muito além do aleitamento materno.

Que comecem falando aquelas mães que adotam crianças. Shhhhh.... Silêncio total, chiitas do aleitamento. Deixem estas mães em paz...
Tenho, na Clínica, inúmeras pacientes que não conseguiram, por motivos diversos, amamentar ao seio. Uso de medicamentos quimioterápicos, mastectomia bilateral pregressa, cirurgia mamária de redução por motivos físicos, blues e depressão pós-parto, e assim por diante. E, claro, os bebês adotados.

Tenho certeza que todas estas mães são super-mães, cuidam com todo o amor do mundo seus filhos, abdicam de um monte de coisas para estar com eles e ainda por cima tem que ouvir a eterna cobrança sobre o aleitamento materno exclusivo.
Não vamos aqui questionar vantagens e desvantagens de amamentar uma criança exclusivamente no seio.

Mas, século 21, já chegou a hora de deixar cada mãe em paz para cuidar e amar seus filhos como todas as outras mães, sem cobrança, sem chateação, sem provocação.


7 comentários:

  1. Tentei, de todas as formas, amamentar. Meu filho emagreceu dia após dia durante seu primeiro mês de vida, a ponto do pediatra à época, disse que o internaria até o fim daquela semana Tomei remédios, suco de manga, chás, banho quente, banho frio...nada adiantou. Aquelas que nos consideram menos mães não tem idéia da dor que sentimos em não conseguir amamentar nossos filhos. Elas tem leite, ótimo para seus filhos. Mas será que tem olhos de ver o sofrimento dos outros? Isso também seria ótimo para a formação dos seus filhos, mais até do que o leite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também passei por isso no primeiro mês de vida do meu bebê, mas não chegamos ao ponto de interná-lo. Usei duas medicações diferentes, comi de tudo, bebi de tudo, fiz tudo o que me diziam e o que via na internet (desespero!!!), tentei retirar leite do peito com duas bombinhas diferentes, compressas quentes, frias, e ainda tinha de ficar ouvindo comentários de que não queria comer esse ou aquele alimento porque não queria engordar, porque milho dá leite, doce dá leite, qualquer bomba calórica dá leite... Realmente, ninguém sabe da dor de querer amamentar, não poder e ainda ficar lendo/ouvindo que por não dar o peito seu filho não terá vínculo afetivo, não terá saúde, terá dificuldade de aprendizagem e outras tantas coisas.
      Desculpe-me pelo desabafo, mas meu filho de oito meses tá super saudável, come já de quase tudo, é super tranquilo, feliz e está aí para mostrar que peito não é tudo!

      Excluir
  2. E viva a diversidade e o direito de escolha, porque de ditadura estamos cheios!
    Escrevi sobre "A dor de amamentar" aqui:
    http://luardabia.blogspot.com.br/2011/01/um-turbilhao-de-emocoes.html

    Gostei desse blog!
    Abraço, Bia.

    ResponderExcluir
  3. Andréia Athaydedomingo, 20 maio, 2012

    Quando engravidei tinha várias teorias sobre tudo e tinha certeza que iria amamentar minha bebê exclusivamente com leite materno. Não foi bem assim. Ela nasceu com 36 semanas, não queria mamar, só dormir. Eu não tinha os bicos dos seios formados. Conclusão, fui para casa com mamadeira e lata de leite nas mãos feliz da vida, pois minha pequena já estava perdendo muito peso. Com paciência e persistência ela pegou o seio, mas continuou com o complemento e está mamando até hoje aos 6 meses e meio, linda e saudável. Nunca me senti menos mãe por isso.

    ResponderExcluir
  4. Estou grávida de 6 meses (1ª gestação) e nem preciso dizer o quanto os assuntos ligados à Maternidade me interessam.
    Esse é um tema que, na teoria, é maravilhoso! A gente está cansada de ver na TV os bebês nascendo e já se fartando no seio da mãe na mesa de cirurgia. Sei que, na vida real, não é bem assim.
    Quero muito amamentar minha pequena Melissa no seio, pois sei das propriedades nutricionais do leite materno. Mas só o farei se nós duas nos sentirmos bem com isso. E farei de tudo pra não sofrer, caso algo saia diferente dos planos...
    Estou preparando o seio, tomando Sol nos bicos e usando cremes específicos. Mas, pelo sim, pelo não, já comprei uma mamadeira de boa qualidade.

    Gosto muito do seu blog, Doutor. Parabéns!

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.