sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Sobre Amor e Comida- Postado por Jairo Len

Mais uma vez faço referência à coluna da psicóloga Rosely Sayão, na Folha on line do dia 21 de agosto.
A queixa "meu-filho-não-come" ainda é a #1 nas minhas consultas. Chega a ganhar das tosses e rinites infindáveis (#2) e das birras e comportamento (#3).

Salvo pouquíssimas exceções, esta inapetência é sempre seletiva, crianças que se alimentam, mas de pouca variedade. Só leite, ou muito carboidrato, ou até mesmo os que comem basicamente finger-foods, os chamados "picky eaters". Beliscam bolachas, polvilho e um pingo de comida o dia todo.

Caberá aos pais, desde muito cedo - com a orientação do pediatra - fazer com que esta situação de extrema seletividade nunca se concretize. Existem inúmeras formas de fazer, e sempre funciona.

Lembro das minha época de Escola Paulista de Medicina aonde, nos ambulatórios de pediatria geral, nunca se ouvia a queixa "meu filho não come". Aonde não há fartura e abundância de comida, as crianças sempre comem (o que tiver para comer). A desnutrição vinha da falta de comida balanceada e de proteína animal, ainda realidade brasileira.

Mas Rosely Sayão fala sobre a raiz do problema: a relação feita entre mães e pais sobre alimentar, achar que está alimentando, achar que isso é uma forma de amor e achar que isso trará aprovação...

Leitura rápida. Vale a pena. Clique aqui para ler o texto.

O máximo em seletividade alimentar...


Um comentário:

  1. Jairo, tento o máximo possível fazer as refeições com meus filhos, importante pois é o momento de conversar, dar exemplo de educação à mesa e ver o que estão comendo , e percebo que isso tem que ser sempre, pois sempre vejo eles fazendo coisas errada ,tipo mão na cabeça...e sempre chamo atenção, um dia aprendem.....
    Quanto a comida, temos que tentar, insistir,variar, e mesmo assim nem sempre temos sucesso ou no caso do enrico aqui em casa...ele não come carne vermelha, ele tem horror....eu tentei,mas hj respeito já que ele come frango bem por exemplo.
    Essas colunas da Sayão são ótimas mesmo.
    Bia

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.