terça-feira, 13 de novembro de 2012

Febre - Postado por Jairo Len

A febre é o sintoma mais comum em pediatria. Não existe criança que não vai ter febre algumas vezes na vida.
Ainda preocupa muito os pais - não só pela causa, mas também como medir, como medicar, quando medicar, como vestir a criança, e se convulsionar?...

Febre é o aumento da temperatura corpórea, acima dos 37,1ºC. Não existe, com limites definidos, o que chamam de "subfebril" ou "estado febril".

Portanto, 37,2ºC é febre. Assim como 39,5ºC. Exceto em recém-nascidos até 3 meses, o grau de febre, se está alta ou baixa, não define a causa e o que precisa ser feito.

Não acho que a febre seja uma boa reação do organismo.
Se fosse, a gente não ficaria tão derrubado quando tem febre. Febre acontece em infecções, estados inflamatórios, pós-operatório, reumatismo e doenças oncológicas. Faz as crianças ficarem menos ativas, mais caídas, com dor de cabeça, sem apetite e às vezes vomitando.
Em temperaturas elevadas, acima de 38-39ºC, as reações de defesa do nosso corpo não são catalizadas - não funcionam bem. Ficamos indefesos.

Portanto, a febre deve ser combatida.

Primeiro, deve ser aferida (medida). Em um post de 2010, falei sobre os tipos de termômetro que eu prefiro. Continua atual. Leia aqui este post.

Medicar a partir de qual temperatura?
Minha regra é simples: sempre que você notar, só de olhar, que seu filho está com febre. Pode ser 37,2º, pode ser 38ºC (acima dos 38º em geral as crianças dão sinais bem claros de febre). Esperar um pouco, se a febre está baixa, se a criança está "ótima", não tem qualquer problema. Mas acima dos 38º, não vale a pena esperar.

O banho morno (nunca frio) ajuda a abaixar a temperatura de forma rápida. Traz conforto à criança, mas tem efeito efêmero: logo a febre vai subir novamente.

Medicação - os medicamentos mais comuns para abaixar a febre são o ibuprofeno (Alivium®), a dipirona (Novalgina®) e o paracetamol (Tylenol®).
Usar um ou outro para abaixar a febre depende do gosto de cada um. Eu prefiro os dois primeiros (crianças acima dos 6 meses de idade). 
Todos os antitérmicos demoram 30 a 60 minutos para fazer efeito, podendo demorar até 90 minutos para funcionar. Não tem efeito imediato. É nesta hora que o banho morno ajuda, traz resultados imediatos.
Muitas crianças passam "a noite toda" com febre, os pais não conseguem abaixar a temperatura - mesmo intercalando os três anti-térmicos. Não é nossa intenção que a febre fique alta por várias horas, mas isso não é tão prejudicial, de forma isolada. Crianças aguentam 12 horas de febre incessante. Em geral isso ocorre nas primeiras 24 horas, no início da infecção.

Roupas - A criança deve estar vestida de forma "fresca", sem excesso de roupa - mas pode ser coberta, de leve, se estiver sentindo frio - o que e comum no momento da febre. O ambiente deve estar ventilado e arejado.

Outra reação bastante típica (mas incomum) das febres altas é o que se chama de viremia ou bacteremia: você vê a criança com as mãos muito frias, tremores finos e calafrios de corpo todo, extremidades pálidas e até arroxeadas. A febre vai subir, com certeza.
Esta reação muitas vezes é confundida com a convulsão febril.  

Quem já viu as duas coisas sabe que são diferentes.

Na convulsão febril  a criança tem realmente uma convulsão (90% das vezes). Corpo todo, braços, pernas, perda de consciência, como nas convulsões da epilepsia.
Ocorre em 1 a 2% da população, crianças entre 6 meses e 5 anos de idade. A primeira vez, em geral, acontece antes dos 2 anos de idade.
Na temperatura de 38,5ºC. Nem é febre tão alta. E sempre no início da febre. Você nem percebeu que a criança estava doente. Inicia com febre e convulsão, juntas, de repente. Não dura mais de 15 minutos.
Apesar do susto (inesquecível), é uma convulsão benigna, auto-limitada, sem complicações secundárias, que não se repete nas primeiras 24 horas. Vai se repetir em 30-40% das vezes, numa próxima infecção.
Em caso de uma convulsão, a conduta é sempre se dirigir ao pronto atendimento mais próximo. A criança normalmente chega sem convulsão no PS, devido à rápida duração.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.