terça-feira, 2 de abril de 2013

iPad e Autismo - Postado por Jairo Len

O assunto é o contrário do que você imaginou ao ler o título do post: tablets são úteis para estimular a comunicação de crianças autistas.
Aplicativos específicos para tablets tem mostrado papel importante na ajuda aos portadores desta doença tão multi-facetada e intrigante.
O autismo é uma doença do grupo dos "transtornos invasivos/globais do desenvolvimento", aonde existe uma dificuldade de comunicação e interação social. De diferentes graus, a ponto de - certamente - você conviver com algum adulto autista e nunca ter se dado conta.

Estes aplicativos para tablet tem inúmeras funções, básicas, "teclas", aonde a criança clica e avisa o que quer: ir ao banheiro, beber água, sair de casa, passear... E também os ajuda a se organizar, à sequência que devem seguir pela manhã, por exemplo: escovar os dentes --> pentear o cabelo --> colocar a roupa...
Outro benefício: como todas as crianças, os autistas se interessam muito pelos tablets (muitas vezes mais até do que por brinquedos comuns), o que faz com que os pais consigam incentiva-los a fazer as "obrigações" (como um quebra-cabeça normal...) e depois podem se divertir no iPad.
Além dos aplicativos habituais, aqueles que todos gostam de brincar, como Apps de escrita, reconhecimento de formas, encaixe, desenhos...

Evidentemente, os tablets são mais uma ferramenta na ajuda dos autistas (e de tantas outras doenças), mas não que dispensam todas as outras formas de terapia fundamentais e que tem resultados absolutamente conhecidos e imprescindíveis no tratamento dos transtornos globais do desenvolvimento.

A pergunta que parece óbvia: mas deixar uma criança, que já tem a sua introspecção, debruçada em um iPad, não vai agravar o problema? 
Como em qualquer criança, o equilíbrio deve ser buscado. A escolha do aplicativo ideal, a participação dos pais e, de vez em quando, liberdade monitorada para a criança fazer o que quiser.
Como curiosidade, um link (AutismSpeaks) e as dezenas de aplicativos voltados para o estímulo às crianças com autismo: autismspeaks.org




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.