quinta-feira, 18 de abril de 2013

Sal, Iodo e ANVISA - Postado por Jairo Len

Ontem ouvi uma notícia que se encaixa perfeitamente na expressão "tapar o sol com a peneira"...
A ANVISA, preocupada com a saúde tiroideana dos brasileiros, anunciou novas regras para a adição de iodo no sal refinado.
O sal "de cozinha", no Brasil, é acrescido de iodo. Iodar o sal é uma forma da população receber diariamente o iodo, um mineral fundamental ao funcionamento da tiróide.
Mas o excesso de iodo também é prejudicial à tiróide.

No Brasil consome-se muito sal. Portanto, excesso de iodo.
Nova regra: continuem a consumir muito sal, mas diminui-se a quantidade de iodo por grama de sal.
Não é que seja errado, não...

Mas a ANVISA (e o ministério da saúde) poderiam promover campanhas para a redução do consumo de sal no Brasil. Que é o dobro daquele recomendado pela OMS.
E também ficar de olho em alimentos industrializados, criando regras mais duras.
Por exemplo: um pacote de macarrão instantâneo chega a ter, com o pozinho junto, 97% do sódio que um adulto deve consumir por dia.
Imagine o que se come disso por aí...
Porcaritos, idem. Sacos de batata chips, palitinhos com sal grosso, salgadinhos de R$ 0,75 o pacote (sabe qual, né?)...são um excesso de sal, mas as grandes indústrias alimentícias tem poder e lobistas para não mexer muito nisso.
Problema mundial, aliás, descrito no livro "Salt Sugar Fat", de Michael Moss. Interessante reportagem sobre este livro você pode ler na reportagem da Folha On Line.

No momento, a cereja do bolo é o iodo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.