terça-feira, 17 de setembro de 2013

A difícil tarefa de educar - Postado por Jairo Len

Li hoje, na Folha Online, um ótimo texto da psicóloga Rosely Sayão. Infelizmente só é liberado para assinantes...
No texto "As Dificuldades de Educar" a psicóloga expõe as contradições que vemos hoje em dia em matéria de educação. Por exemplo: é importante desenvolver a auto-estima dos filhos (#1 em educação) mas ao mesmo tempo não se pode elogiar tudo o que a criança faz...
Alguns autores defendem firmeza, outro juram que a autoridade exagerada é prejudicial.
Palmadas, hoje, são até proibidas por lei... No dia a dia da Clínica pergunto aos pais se eles "levaram palmadas" quando eram criança: 9 em cada 10 pais dizem que sim, e que não se tornaram, por isso, serial killers. Alguns confessam que já usaram este método educacional nos seus filhos, outros se arrepiam em pensar nisso.
Rosely Sayão ainda coloca que, não bastasse a opinião que cada um tem, os pais ainda sofrem pressões de movimento sociais em relação à amamentação, à alimentação, ao consumo...
Sempre lembro de alguns dilemas, como de um casal, pais de meninos gêmeos. A mãe, vinda de família muito rica, viveu com toda a fartura, tudo em mãos, sem qualquer dificuldade. Formou-se médica, fez pós graduação fora do Brasil e hoje trabalha e pesquisa muito. É bastante bem sucedida. Acha que os filhos podem viver nesta "fartura" e aprenderem o que ela aprendeu com os pais.
O pai veio de uma família mais rigorosa, menos abastada, aonde para se conseguir qualquer coisa tinha que "suar" muito - e sentia que os pais não davam tudo o que ele queria para forçá-lo a batalhar. Formou-se médico, é extremamente bem sucedido. Acha que os filhos não podem viver nesta "fartura" e devem aprender o que ele aprendeu com os pais. 
Quem está certo? A mãe ou o pai? Qual foi  a fórmula que os pais dela tiveram para não errar? E os pais dele?

Um parágrafo do texto me chamou atenção, e concordo plenamente:

"Qual a saída? Saber que o que conduz a educação familiar são as tradições de cada família, os valores priorizados, as virtudes consideradas valiosas e, principalmente, a afetividade envolvida entre os integrantes do grupo. Não a afetividade melosa de incontáveis declarações de amor ao filho, e sim a amorosidade de introduzi-lo na vida como ela é, de dar banhos de realidade no filho de acordo com a idade que ele tem".

Não há um único meio de educar seus filhos que sirva para todas as famílias.  
Há um senso comum, parece que (quase) todos nós identificamos pais que tentam educar bem seus filhos e aqueles outros são são o contra-exemplo do que é educar. Mas para os pais do contra-exemplo, talvez os "outros" pais pareçam uns loucos. 

Sempre peço para os pais, lá na Clínica, que procurem perceber como foram educados por seus pais, quais eram os valores, o que podia e o que não podia, e como a educação funcionou. Se isso os fez bem sucedidos, se fez deles pessoas que consideram felizes, se foi uma fórmula para o sucesso, globalmente falando...
Desta forma, de geração em geração, tentando educar do seu modo, sem fórmulas mágicas, que infelizmente não existem...

Para quem que acesso, o texto de Rosely Sayão.

Politicamente incorreto, mas a minha geração entende muito bem a piada!






4 comentários:

  1. O leite aptamil AR não tem DHA e ARA, que é fundamental para o bom desenvolvimento cerebral dos bebês, sem ele o raciocínio fica muito mais lento, e eu fui enganada por um médico que disse que era a mesma coisa das outras formulas e dei para minha filha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que vale a pena você conversar com este médico, para que ele te esclareça algumas coisas sobre o ARA e DHA... Não sei de onde vem as informações que você tem sobre desenvolvimento neurológico, mas não haverá qualquer forma do raciocínio ficar "mais lento" caso não se utilize fórmulas sem DHA e ARA.

      Excluir
  2. Olá, meu bebê tem 40 dias e não produzo LM em quantidade suficiente. A pediatra me indicou o Similac 1 para complementar após as mamadas. Meu bebê teve uma boa aceitação dessa fórmula, mas achei um pouco cara e estou querendo testar outra, mas não queria perder a qualidade. O senhor me indica alguma? E é verdade que o Similac é a fórmula que mais se assemelha com o LM? Obrigada!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A indicação da fórmula láctea ideal deve ser orientada de acordo com alguns parâmetros que só o(a) pediatra que acompanha seu bebê pode fazer. Todas as fórmulas lácteas devem seguir parâmetros recomendados pela OMS, o importante é achar alguma que esteja adequada para vocês.

      Excluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.