quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Genéricos, Similares e Originais - Postado por Jairo Len

"Você confia nos medicamentos genéricos?"
Não só para mim, mas acredito que todos os médicos respondem a essa pergunta com muita frequência...
Para não parecer muito radical, eu coloco um questionamento aos que me perguntam sobre genéricos:
- Se o governo criasse a linguiça genérica, você compraria, independente do fabricante? Compraria a linguiça do "Zé da Esquina", que você nunca ouviu dizer? Ou uma linguiça feita na Índia?
A resposta, sempre depois de alguns segundos de meditação, é..."não"
- Mas o nosso governo garante que a linguiça é boa!!
"Não...acho que não, né?"

Então - respondo - com os medicamentos é exatamente igual - temos que confiar nos laboratórios e sua idoneidade, sua seriedade.
Não se pode confiar na vigilância do governo, que nós médicos sabemos que não é realizada abrangente, séria, responsável e isenta de qualquer interesse. Basta ler uma revista semanal (Veja, IstoÉ, Época) para ver como funciona o lobby da saúde - um dos mais famigerados, e todos os seus braços malévolos. Principalmente quando se trata de grandes, enormes volumes de dinheiro. 

Li há pouco, incrédulo, que a ANVISA quer unificar genéricos e similares. Similares são os medicamentos produzidos por qualquer laboratório quando o original "perde" a patente. O laboratório que quiser compra o sal (produto in natura, o medicamento cru) em qualquer canto do planeta (China, Indonésia, Índia) e produz seu remédio. Dá um nome criativo e põe à venda.
O que isso significa?
Atualmente, quando o médico prescreve, por exemplo, amoxicilina, a farmácia pode vender o original (Amoxil, da GSK) ou o genérico. Só.
Com a nova regulamentação, a farmácia pode empurrar qualquer tipo de amoxicilina.
Similares, inclusive. Fabricados por qualquer um...

Acho que os similares e os genéricos, de modo geral, se equivalem. É o roto e o esfarrapado.
Volto à linguiça. Não dá pra confiar na vigilância do governo...
Compraremos a linguiça de quem confiamos... Você só compra da Sadia, Perdigão, Aurora... Mas e o Zé da Esquina Calabresa, não confia?

Eu particularmente (para uso próprio) não tenho boas experiências com genéricos, infelizmente. Não só de um remédio...
Atualmente não compro. 
Similares? Alguns. Aqueles em que confio no laboratório fabricante e que eu sinto que fazem efeito, Isso é muito simples para quem toma o Nexium, por exemplo, um remédio para regular a acidez gástrica. O genérico (esomeprazol, só tem um fabricante deste genérico...) não me fez efeito. Não funcionou.

Para meus pacientes, recomendo o uso do original. Além do gosto invariavelmente melhor - importantíssimo em pediatria - não posso contar com o viés do remédio não funcionar por não ser de boa qualidade. Se não está funcionando, mudamos o rumo do tratamento. 

Medicina é algo muito sério. Podemos perceber isso cada vez mais, dia a dia se fala nesse assunto.
Se os interesses econômicos ou a bandalheira falarem mais alto, estamos em maus lençóis...

Para ler o texto sobre genéricos e similares, clique aqui (Folha.com)

Parece que a desconfiança não é só por aqui...
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.