segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Genérico, muito cuidado - mas não vamos generalizar - Postado por Jairo Len

Li esta semana, em uma reportagem na Folha de São Paulo on line, que o maior laboratório brasileiro e o maior fabricante de genéricos no Brasil teve parte da sua fábrica interditada pela ANVISA. E a interdição não foi por motivos burocráticos.

"A Folha apurou que, no dia da inspeção, feita também pelas vigilâncias sanitárias do Estado de São Paulo e de Hortolândia, a temperatura do almoxarifado da fábrica estava em 46°C, quando a determinada pelas normas técnicas é entre 15°C e 28°C. Essa condição pode levar à degradação do produto, alterando a eficácia."

A ANVISA suspendeu a comercialização da amoxicilina + clavulanato, o genérico do Clavulin. Suspendeu também a rifampicina tópica, genérica do Rifaldin.


"Constatou-se ainda que um insumo farmacêutico estava sendo sintetizado de forma diferente do que consta no registro do produto."

Serve para que todos fiquemos atentos, tanto aos genéricos, como à qualidade de alguns laboratórios farmacêuticos. Nem tudo é ruim, mas, principalmente, nem tudo é bom.

À ANVISA (que costumo criticar), meus elogios, inclusive de peitar o maior laboratório farmacêutico do Brasil - o que sabemos que não é nada fácil... 

Para saber mais, leia a matéria aqui.




2 comentários:

  1. Seria bom que soubessemos qual é o laboratório. Importante, mesmo não é?

    ResponderExcluir

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.