terça-feira, 14 de julho de 2015

Infração: cesárea antes da 38ª semana - Postado por Jairo Len

O Conselho Federal de Medicina (CFM) deve discutir, em agosto, uma regra para tentar diminuir o exagerado número de cesáreas eletivas que acontece no Brasil. Cesáreas com data marcada, sem quaisquer indicações médicas.


Para isso, quer tornar infração ética a realização de cesáreas, sem motivo médico que justifique, antes de 38 semanas de gestação.


Acho que a medida é bem interessante, apesar de ser quase impossível de fazer a fiscalização. Mas pelo menos vai alertar e tentar diminuir o índice brasileiro de campeão mundial de cesáreas: em 2013, 84,5% dos partos na rede de saúde suplementar foram cirúrgicos. Na rede pública, foram 40%, muito acima, ainda, dos 15% recomendados pela OMS.


A discussão está também em andamento, de outras formas, no ministério da saúde e ANS, que não querem remunerar médicos por cesáreas eletivas - a não ser que a gestante "autorize" ou consinta o procedimento... Claro que a regra não vai funcionar bem na prática, também.


Na minha estatística, na Clínica, vejo que cerca de 30% dos partos são naturais - e o restante cesáreas. Raramente antes de 38 semanas, salvo quando realmente há motivos obstétricos para isso. Mais raro ainda por decisão materna - ainda que na maioria das vezes as mães querem mesmo o parto normal... É uma conjunção de fatores que definem isso, mas de forma interessante noto que alguns obstetras em São Paulo fazem a maioria dos  seus partos normais, e outros quase só cesáreas. E as gestantes já sabem disso antes, inclusive relatam que "foram no tal médico(a) porque sabem que a maioria dos partos são normais".
No serviço público, não há essa opção ou, sequer, alguma discussão com o médico para tentar fazer partos normais: 60% serão cesáreas, sem motivos.


Portanto, todas as discussões e esclarecimentos em cima deste tema são muito importantes, sempre.


PS: em relação ao parto em casa, continuo 100% contra. Os bebês não tem culpa ou chance de escolha caso haja qualquer problema que possa trazer risco para a saúde cerebral deles, que serão sempre os grande prejudicados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.