terça-feira, 17 de julho de 2018

Surto de Sarampo e a Necessidade de Vacinação - Postado por Jairo Len

Como a maioria sabe, existe um risco de um surto de sarampo no Brasil, parte deste continente que, em 2006, foi declarado "livre de sarampo". Seriamos livres de sarampo e outras mazelas se os governos sul-americanos tivessem um mínimo de seriedade...

De qualquer forma, o risco de sarampo está por aí.
Alguns fatores são importantes para o surto: a má cobertura vacinal no Brasil, por conta dos programas mal-feitos do governo, de pais e mães ignorantes que não vacinam seus filhos, e no caso atual por conta do fluxo de imigrantes venezuelanos, fugindo do seu país, entrando no Brasil.


O sarampo não é uma doença viral benigna, porque tem risco de complicações. O índice de mortalidade é de 1:1000, devido à encefalite por sarampo.



VACINAÇÃO

Consideramos PROTEGIDA  por toda a vida a criança ou adulto que tomou DUAS DOSES da vacina a partir dos 12 meses de idade.

Em geral usamos a tríplice ou quádrupla viral: a SCR/MMR - sarampo, caxumba e rubéola - ou a MMRV, com catapora.

Todas as crianças acompanhadas na Clínica Len de Pediatria recebem as doses com: 12 meses e 20 meses. Estão protegidas para a vida toda. 
Os que já tomaram a primeira dose estão também protegidos, até o reforço de 1 ano e 8 meses.

O governo vacina nos postos de saúde aos 12 meses e 15 meses.

ADULTOS

Adultos que não sabem seu status vacinal (quantas doses recebeu, se já tomou duas doses na vida) podem tomar, sem qualquer problema, uma dose de reforço. Todas as clínicas particulares e postos de saúde vacinam.


IMPORTANTE

Se todas as crianças e adultos estiverem vacinados, o risco de epidemia em nosso meio é muito baixo. Os menores de 12 meses (que ainda não receberam a primeira dose) estarão protegidos se pais, irmãos, avós e cuidadores estiverem vacinados.


VACINEM SEUS FILHOS
O mesmo vale para todas as outras doenças emergentes, como a poliomielite, a coqueluche, entre outras. São doenças extremamente importantes que podem ser evitadas com uma vacina segura. Não vacinar crianças (que vivem em sociedades de milhões de habitantes) é um misto de ignorância, teimosia e irresponsabilidade.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço todos os comentários!
De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, determinadas orientações só podem ser feitas após consulta médica ou avaliação/seguimento - portanto não posso responder perguntas detalhadas e individualizadas neste canal.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.