terça-feira, 19 de agosto de 2014

Andadores - Postado por Jairo Len

Eles até já tem venda proibida no Brasil, mas as dúvidas são diárias: "posso usar andador para o meu filho?"
Vamos aos fatos...
Os bebês usam (usavam?) andador entre seis ou sete meses de idade e um ano e pouco, quando começam andar sozinhos. Por décadas usamos andadores, sem imaginar que poderiam trazer tantos problemas.

Estatísticas demonstram claramente que o uso de andador nesta idade pode causar acidentes, caso a criança não esteja monitorizada de perto (o nome em inglês é ótimo: touch-supervision), e mesmo quando supervisionadas bem de perto.
Os acidentes relatados são tropeços em pequenos obstáculos, como tapetes ou soleiras irregulares - fazendo com que o bebê caia de cara/cabeça no chão; podem também ser batidas em quinas de mesas ou móveis; além de trazer uma mobilidade e acesso que não existem nesta faixa etária, chegar rápido em degraus e escadas.
Algumas vezes mães de pacientes me chamaram por causa de problemas com essa mobilidade, fazendo com que seus filhos pegassem coisas de cima da mesa da sala de jantar (um clips, devidamente ingerido, e uma bandeja que caiu em cima do bebê, mas sem maiores consequências). Tropeços e quedas são inúmeros.

Outro problema aventado é o atraso na aquisição da marcha, quando se usa andador. Esta questão eu acho mais simples, realmente pode ocorrer...mas só se o uso for exagerado. Esse uso exagerado existe, infelizmente. Imagine mães que trabalham em casa (e muitas vezes na casa dos vizinhos, fazendo limpeza ou cuidando de outras crianças) e deixam seus filhos horas e horas em cima de um andador. É claro que isso atrapalha o desenvolvimento da criança. 
Pernas não entortam com o uso de andador, outra dúvida frequente.

Apesar das crianças adorarem um andador, ele realmente não traz vantagens para o desenvolvimento e podem causar alguns transtornos - por este motivo veio sendo escorraçado da pediatria aos poucos, até ter sua venda proibida neste ano...


A opção atual são os "empurradores", carrinhos que as crianças se apoiam e vão empurrando pela casa... O que as crianças já fazem com cadeiras, por exemplo.
Também não são isentos de causar acidentes, obviamente. 

Sempre é necessária a supervisão de um adulto, continuamente.