quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Cachorro Quente: um risco - Postado por Jairo Len


Muitas mães tem restrições em dar cachorro-quente para seus filhos - acham que a salsicha é um embutido feito de "sabe-deus-o-quê" e corantes, tem catchup, mostarda, etc.
Mas, na verdade, o grande perigo das salsichas são os engasgos e asfixia.
Nos Estados Unidos, que tem estatística para tudo, foram atendidas no ano passado 10 mil crianças devido a engasgos com salsicha e - pasme - 77 delas morreram. é o alimento que mais causa problemas como este nos Estados Unidos.
O que fez a Academia Americana de Pediatria publicar um artigo propondo uma mudança no formato das salsichas. Percebeu-se (século 21!!!) que a salsicha tem um formato propício para "entalar" na traqueia, a ponta arredondada (facilita a entrada na traqueia) e, especialmente no meio de um sanduíche, "pula" quando é apertada. "Se os melhores engenheiros do mundo quisessem criar o bloqueio perfeito da traqueia de uma criança, este teria a forma de uma salsicha de cachorro-quente", diz Gary Smith, diretor do centro de pesquisa de lesões do hospital pediátrico de Columbus, em Ohio.

Eu já soube de um caso de asfixia por salsicha de hot-dog - que ocorreu numa festa infantil, mas felizmente havia uma mãe expert e corajosa que fez as manobras necessárias e a criança expeliu a salsicha.
Sugiro a todos que vejam o tutorial da Universidade Federal de São Paulo, que faz uma explicação didática de como se deve fazer uma manobra para retirada de um "corpo estranho" das vias aéreas de uma criança: www.virtual.epm.br/material/sbv.

E, claro, até que as salsichas tenham formato de hamburguer ou batata-sorriso, elas sejam oferecidas cortadas em fatias, mesmo dentro do pão de cachorro quente.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Cochilo Reparador - Postado por Jairo Len


Se você tem tempo, não se culpe!
Uma soneca no meio do dia pode aumentar a capacidade de aprendizagem do cérebro, aponta estudo apresentado na reunião anual da American Association of the Advancement of Science.
A pesquisa, feita por cientistas da Universidade da Califórnia, em Berkeley, mostra que uma hora de cochilo durante o dia é capaz de restaurar e até mesmo de ampliar os processos cognitivos.
Por outro lado, quanto mais horas um indivíduo permanecer acordado, mais preguiçoso se torna o seu cérebro - perder uma noite de sono derrubaria a capacidade de armazenar novas informações em cerca de 40%.

COMO NO SEU COMPUTADOR - Segundo os pesquisadores, os resultados reforçam a hipótese de que o sono é necessário para "limpar" a memória de curto prazo, de modo a liberar espaço para novas informações. De acordo com o estudo, tais memórias são armazenadas inicialmente no hipocampo antes de serem enviadas ao córtex pré-frontal, que tem mais espaço de armazenamento.
Os pesquisadores pretendem investigar se a redução de sono experimentada à medida que as pessoas envelhecem está relacionada à diminuição na capacidade de aprendizagem com a idade - ou se é o contrário...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Novas regras para farmácias na contra-mão - Postado por Jairo Len

As grandes redes tem liminar contra - mas a partir de hoje passam a valer as novas regras da ANVISA para a comercialização de produtos nas farmácias.
A meu ver, uma regra na contra-mão do bom senso e da facilitação de vida. No mundo todo - mesmo nos países que fazem controle rigoroso da venda de medicamentos - existem os remédios "OTC" (over-the-counter ou "depois do balcão"), aqueles vendidos livremente, sem necessidade de passar pelo balconista (inclusive, no mundo civilizado, TODOS os demais medicamentos só são vendidos com receita médica).
A partir de agora todos os remédios, mesmo os antiácidos, colírios, analgésicos, antitérmicos...tem controle dos balconistas e farmacêuticos. Ficará mais difícil a livre escolha, a comparação de preços - e, claro, ficará mais fácil o direcionamento da venda. A saber: quem já não ouviu uma "empurroterapia" no balcão de uma farmácia?

Enquanto isso, você compra aqui no Brasil qualquer medicamento tarja vermelha (aqueles que necessitam receita médica) sem receita médica. Basta pedir no balcão. Antibióticos orais e antibióticos injetáveis, anti-tireoideanos, hormônios injetáveis, cortisona, anti-hipertensivos...
Sem qualquer controle. Compra e usa quem quer.
Mas, para comprar Tylenol ou Alivium, fique na fila do balcão e, se o sistema estiver no ar, tente comparar os preços.

Ainda na contra-mão, está proibida a venda em farmácias dos mortíferos chicletes, balinhas, água, refrigerantes, pilhas e óculos de grau para leitura.
Só para lembrar de outra decisão importantíssima da ANVISA: agora os laboratórios são proibidos de distribuir "canetas" aos médicos com propaganda de remédios. Com o nome do laboratório, pode. Pagar viagens internacionais ao médico também pode.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Suco, Néctar ou Refresco? - Postado por Jairo Len


"Qual você quer? O que parece de limão, é de groselha e tem gosto de tamarindo? O que parece de groselha, é de tamarindo, com sabor de limão? Ou o que parece de tamarindo, é de limão, com sabor de groselha?".
O diálogo acima, para refrescar a memória, é do seriado mexicano "Chaves" (Fonte: Idec).
Publicação do Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC) mostrou, mais uma vez, que os auto-denominados "sucos" prontos contém muito mais coisa dentro do que a própria fruta. Aliás, os teores de frutas são mínimos, quando comparamos a um suco natural. Já comentei isso aqui no blog anteriormente. Muitas mães acham que estão fazendo uma alimentação saudável oferecendo estes sucos (Del Valle, SuFresh, Kapo, Skinka, Jandaia, etc...) diariamente aos seus filhos. Idem aos produtos Ades, muitos com proteínas e cálcio, mas com açúcar, corantes, acidulantes.

DADOS DO IDEC
Açúcar: por exemplo, o suco Jandaia de manga informa apenas que uma porção de 200 ml do suco contém 23 g de açúcar, ou seja, 115 g por litro. No entanto, é impossível saber quanto dessa quantidade é proveniente da própria fruta e quanto foi adicionado. De qualquer forma, é como colocar duas colheres (de sopa) de açúcar, cheias, em um copo de suco.
Corantes: dois dos produtos avaliados continham esse tipo de aditivo - bebida mista de frutas verdes Skinka e bebida de frutas sabor uva Del Valle Frut. Precisa colocar? Alguns deles, como os corantes tartrazina (INS102) e amaranto (INS123), são apontados como causadores de reações alérgicas e podem estar ligados ao aumento de distúrbios de atenção e hiperatividade infantil.
Aromatizantes artificiais ou naturais: todos contém.
Conservantes: quase todos contém, desde ácido ascórbico, como o conservante benzoato de sódio (INS211).

Se colocarem gás, vira refrigerante...

Sei da praticidade que são estes "sucos", mas é preciso saber que não são bebidas para o dia-a-dia. Prefira sempre os sucos que não contenham açúcar, corantes ou conservantes artificiais. A água de coco (de caixinha) é uma opção, o suco de maçã Yakult também.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Fumantes Passivos - Postado por Jairo Len

Dormindo com o inimigo...
Um estudo publicado no "Proceedings of the National Academy of Sciences" mostra que a nicotina reage com o ácido nitroso – um poluente muito comum – e forma um componente cancerígeno conhecido como TSNA, uma das mais perigosas substâncias presentes na fumaça do cigarro.
Crianças e adultos que entram em contato com o "cheiro" de cigarro impregnado em fumantes (mãos, cabelos, roupas - só os fumantes não percebem...) tem um risco aumentado de toxicidade e câncer.
Portanto, não é só a fumaça que torna alguém fumante passivo.
"Só fumo na varanda...só fumo fora de casa...". Não adianta.
Quando o primeiro fumante no mundo for processado por homicídio culposo (aquele sem intenção de matar) as coisas talvez comecem a entrar nos eixos.
As crianças devem ser protegidas do fumo passivo.
Comprovadamente o fumo passivo (secondhand smoke) é causa de asma, bronquite, risco aumentado de câncer de pulmão, laringe, boca e base de língua, entre outras. Grávidas que fumam aumentam o risco de leucemia nos seus filhos.
NÚMEROS
Para os céticos, aqui vão os números norte-americanos:
Quem vive com um fumante deve saber que morar com um fumante causa: 46 mil mortes por ataque cardíaco ao ano, 3.400 mortes por câncer de pulmão ao ano, 150 mil a 300 mil internações por doenças respiratórias em menores de 18 anos, 750 mil otites ao ano e 1 milhão (1.000.000) crises de asma que não aconteceriam...
Além do aumento da síndrome da morte súbita do lactente.
Não há um nível seguro comprovado para o fumo passivo - ou seja, qualquer quantidade já se torna um problema.
Se quiser ver estes dados por completo, acesse o link da American Cancer Society: http://www.cancer.org/docroot/ped/content/ped_10_2x_secondhand_smoke-clean_indoor_air.asp.

Quem me conhece sabe que não faço, de maneira alguma, campanha anti-fumo direcionada ao fumante. E tenho meus motivos para não fazê-lo. Cada adulto sabe o rumo que deve tomar na vida e os malefícios do cigarro.
Mas as crianças e os adolescentes devem ser poupados, a todo custo.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Medicina Ortomolecular - Postado por Jairo Len


O uso de megadoses de vitaminas, sais minerais, ácidos, proteínas e EDTA (Ácido Etileno Diamino Tetracético), entre outros procedimentos prescritos pelos médicos que realizam a "medicina ortomolecular" e biomolecular, estão proibidos por resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM).
Assim como os exames em fios de cabelo, exceto em casos já definidos pela literatura científica e em suspeita real de contaminação por metais tóxicos.
"Os tratamentos da prática ortomolecular devem obedecer às comprovações embasadas por evidências clínico-epidemiológicas que indiquem efeito terapêutico benéfico"., diz a portaria do CFM.
Ou seja: o médico não pode inventar moda e ficar administrando sabe-deus-o-quê em seus pacientes se não houver indícios (científicos) que aquilo funciona.
Existem regras e práticas recomendadas em medicina ortomolecular.
A dose máxima diária de vitaminas já foi inventada e existe uma regulamentação para isso. E, inclusive, existem à venda dezenas de vitaminas prontas, multivitaminas ou individuais, para facilitar a vida das pessoas e trazer segurança aos pacientes.

O que vejo (e já comentei anteriormente no blog) é que existem pessoas - de um nível socio-cultural bom, inclusive - que perseguem e se rendem a tudo que é incerto ou feito de forma alternativa. "Porque seguir aquilo que todos fazem?". Terapias caríssimas ortomoleculares, pediatria antroposófica, gotinhas etílicas de homeopatia desde o nascimento, e assim por diante.
Qual é o problema dos médicos em fazer o que é certo e comprovado cientificamente?

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

MMR x Autismo - Fim de Papo! - Postado por Jairo Len


Questão frequente de pais, a relação entre vacinação contra sarampo, caxumba e rubéola (MMR) e autismo - sempre expliquei que não há nenhuma relação entre as duas coisas - finalmente foi "retratada" pela revista Lancet, uma das mais prestigiosas do mundo (provando que nada em medicina é absoluto e 100% confiável).
Em 1998, um artigo infeliz publicado na Lancet - estudo encabeçado pelo médico britânico Andrew Wakefield - fez com que milhares de pais deixassem de vacinar seus filhos, fazendo inclusive o sarampo ressurgir no Reino Unido. O estudo levantava a possibilidade das crianças, após serem vacinadas com a MMR com 1 ano de idade, terem maiores chances de desenvolver autismo.
Na onda de "ser do contra", dezenas de ONGs, naturalistas e contraproducentes do gênero lançaram suas teorias anti-MMR. Se tiver tempo e curiosidade, dê uma olhada neste link: http://www.autistas.org/vacinas.htm. Você verá que a ignorância humana é infindável e muito criativa.

The Lancet - "Nós retratamos completamente o artigo de nosso registro de publicações", afirma nota dos editores da Lancet divulgada na terça passada. Na semana passada, o Conselho Geral de Medicina do Reino Unido decidiu que Wakefield demonstrou "desprezo brutal" pelas crianças usadas no estudo, e agiu com falta de ética. Wakefield e os dois colegas que não repudiaram o estudo correm o risco de perder o direito de praticar a Medicina.

Escrevi sobre essa falsa associação em 18 de novembro de 2009: http://clinicalen.blogspot.com/2009/11/vacinacao-e-autismo-postado-por-jairo.html

Nunca deixei de vacinar uma única criança por causa dessa suspeita relação. Sempre converso com os pais e explico exatamente como foi este estudo e os milhares que vieram depois, comprovando a eficácia e segurança da MMR.
E, como em todos os assuntos, o oráculo (google) pode até ser a forma mais prática de trazer informações - mas garanto que ao mesmo tempo é a menos fidedigna e precisa - pelo menos em assuntos médicos.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Parto em casa com água - Postado por Jairo Len


A não ser que você seja um peixe, não vejo qualquer sentido do parto ser na água.
Em "alta" na mídia desde o nascimento do "sem rosto" Benjamin, filho de Gisele Bundchen, o parto domiciliar e na água, a meu ver, é um grande retrocesso. Tanto ao período pré-histórico, aonde se nascia nas cavernas, como no período mezo-proterozóico, quando a gente era parecido com um girino.
Quanto a não ser anestesiada (e jurar que não teve dor), sem remédios e sem intervenção médica (dentro do hospital), acho uma opção de cada mulher, é claro. Sou amplamente a favor do livre-arbítrio, desde que isso não possa causar qualquer mal ao recém-nascido.
Evidentemente os índices de mortalidade materna e infantil no momento do parto caíram bruscamente nos últimos 100 anos às custas de um melhor atendimento na hora do parto. Eu posso relatar inúmeras histórias de bebês e mães que se não estivessem no hospital teriam morrido devido a complicações - inesperadas - na hora de um parto normal ou cirúrgico. Não é um exemplo ou outro que vão dar aval a se "reinventar" esta moda.
Imagine você se a moda pega. Vizinhas parteiras despreparadas, sangramentos, falta de vacinação e anticoagulante nos bebês, icterícias, hipotermias... Pelo menos dentro de um hospital ainda existe algum controle de qualidade. Além de oxigênio, aspiradores no caso de aspiração de mecônio, monitorização...
Falo isso porque a população não pode ser dividida nos que "podem" ou nos que "não podem" ter o parto em casa devido a seus recursos econômicos. É evidente que Benjamin teve um aparato gigantesco que estaria a sua disposição se algo desse errado. Mas não é essa a realidade das mães que procuram estes caminhos. O parto domiciliar em geral é feito por parteiras (obstetras, aposentem-se!) e sem neonatologistas.
Sempre brinco com os pais que "a maioria dos partos poderiam mesmo ser em casa ou no táxi." Mas aqueles casos específicos, que precisariam de suporte, vão fadar a criança a um problema neurológico para sempre se não forem muito bem conduzidos. Já vi vários casos assim, principalmente na minha época de residência médica, nos plantões do Amparo Maternal - aonde o parto era em casa ou no táxi por absoluta falta de recursos econômicos e suporte do governo. Eu via como alguns recém-nascidos chegavam...

O ginecologista e obstetra Júlio Elito, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), também prefere que as mães adeptas dos partos humanizados utilizem as salas especiais dos hospitais. “É possível ter um parto natural, sem intervenção médica, sem remédios e sem anestesia, no hospital, onde os recursos estão à mão”.
Algum argumento?

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Manchas Cítricas - Postado por Jairo Len



O nome "manchas cítricas" é incorreto, mas o importante é que você saiba o que causa e como podemos evitar as fitofotodermatoses (este é o nome correto...).
Alguns alimentos (que contenham os furocumarínicos) podem causar queimaduras sérias quando estão em contato com a nossa pele exposta ao sol.
Nas crianças, o contato em geral é indireto - através das mãos dos adultos que fizeram sucos, caipirinhas, saladas, temperaram o aperitivo... Sorvetes bem naturais, que contenham a fruta cítrica, também poder ser causa das fitofotodermatoses.
Bastam 30 minutos de exposição solar (com ou sem filtro). A área fica avermelhada, no dia seguinte podem aparecer micro-bolhas, em seguida a área torna-se acastanhada e essa mancha pode durar semanas ou meses.
Os alimentos que contém os furocumarínicos são:
Limão, laranja, mexerica, maracujá, lima, morango, figo, manga, nabo, aipo, salsão e alface.
Após o aparecimento da mancha, não há nada para fazer - a não ser que a lesão esteja com aspecto de ferida, inflamada ou infeccionada. Caso contrário, a mancha desaparecerá por completo em semanas ou meses e não deixará cicatriz.
O filtro solar deve ser "caprichado" em caso de re-exposição solar.
Lavar muito bem as mãos antes de pegar as crianças é o melhor jeito de evitar as manchas de fitofotodermatose.