quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Sarampo... - Postado por Jairo Len

Soube ontem, a partir de uma mãe cujos filhos estudam no mesmo colégio aonde houve um caso de Sarampo, que a criança de 5 anos que teve a doença não havia sido vacinada contra a doença.
Os pais, médicos homeopatas, sabe-Deus-porque, não achavam que sua filha precisava receber as doses da vacina.
Ou seja, por causa de uma decisão esdrúxula dos pais/médicos (não vacinar), a criança correu risco de morte (1:1000) e muitos adultos também.

Acharam, talvez, que ainda estavam em 1810, duzentos anos atrás, quando o pai da homeopatia, Samuel Hahnemann, escreveu o Organon, a grande obra deste tipo de medicina alternativa.

Nesta semana tive uma primeira consulta cujo ex-pediatra, antroposófico (???), também contra-indicou as vacinas. Os pais, ouvindo noticiários sobre meningite C (matando na Bahia), foram contra a teoria de homicídio-doloso do pediatra e vacinaram sua filha, que, a partir dos 7 meses de idade, iniciou a vacinação.

Eu acho que gente assim (os médicos) deveriam ser investigados pelo CRM, deveriam fazer cursos de reciclagem (hoje começa, inclusive, o congresso nacional da Sociedade Brasileira de Imunizações) e se ainda mantivessem essa postura tacanha de contra-indicar vacinas do calendário oficial de imunuzações, devem ser afastados da profissão.

"Em que faculdade eu aprendi que não se deve vacinar?"

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Sono X Obesidade - Postado por Jairo Len

Um estudo do Baylor College of Medicine Sleep Center, em Houston, Texas, mostrou que quanto menos um adolescente dorme, maior a sua chance de ser obeso.
O índice de massa corpórea dos adolescentes que dormem menos de 7 horas por dia é 4 a 5% maior do que aqueles que dormem mais do que isso.
A causa da obesidade está relacionada a dois hormônios, a grelina e a leptina, reguladores da fome e saciedade.
Obvio - No mesmo estudo ficou comprovado que dormir menos aumenta o sono durante o dia, de forma crônica, diminuindo o ânimo, o rendimento escolar, a prática de exercícios e aumentando o estresse, já básico dos adolescentes...
No estudo, houve grande melhora nos parâmetros físico e emocionais dos adolescentes que dormem, diariamente (2ª a domingo), mais de 8 horas noturnas.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Bilinguismo - Postado por Jairo Len

Sou questionado todos os dias por pais preocupados com o tipo de escola em que seus filhos vão estudar. Na verdade, a maioria das dúvidas simplesmente é se a escola "deve" ser de educação bilíngue ou não.
Não vou entrar nas minúcias sobre a cognição e aprendizado linguístico, porque não sou especialista nisso.
Sabe-se que é muito mais fácil para a maioria das pessoas aprender uma língua antes de ser alfabetizada em outra. Ou seja, é muito mais fácil aprender inglês (falar e futuramente ler e escrever) antes de ser alfabetizado em português.
E o principal argumento que eu coloco para os pais, no momento de escolher uma escola, é simplesmente este: se seu filho vai falar inglês ou não com fluência no futuro.
Sei que é possível ter fluência frequentando cursos de inglês ou fazendo um intercâmbio, mas definitivamente é mais simples (no quesito aprendizado) sair aos 8 anos de idade falando e escrevendo em inglês e português.
Corroborando com minha opinião, li hoje uma pesquisa feita pela consultoria de recursos humanos Michael Page que somente um terço (33%) dos executivos brasileiros tem fluência em inglês. Para de ter ideia, a vizinhança tem a seguinte estatística: México = 52%, Chile = 46% e Argentina = 49%. Note que estamos falando de executivos, portanto podemos equiparar nosso nível sócio-cultural com estes outros países. Na Europa, acredito que cerca de 100% dos executivos, bem como a população com nível de escolaridade superior, saiba falar inglês. Vale também para os presidentes dos países, que, diferente dos nossos, não precisam tradutores (isso é uma tristeza, deveria ser obrigatório para um candidato a presidência ter inglês fluente).
Em relação à qualidade do inglês falado por aqui, o Brasil ganha do Chile, mas perde para Argentina e México.

Não se informou nestas pesquisas qual é o caminho que se deve seguir para a fluência em inglês. Acho que deveria ser uma preocupação de todos os pais que querem seus filhos em boas posições no futuro.
Não é obrigatório, claro, mas acho que a escola bilíngue é um destas respostas. O problemas ainda é qualidade (não basta batizar a escola com "dois nomes em inglês" para ela ser bilíngue de verdade), número de vagas e custo mensal, que ainda consegue ser 50 a 100% mais cara que as demais escolas.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Menos tela, mais brincadeira - Postado por Jairo Len

A Academia Americana de Pediatria (AAP) publicou anteontem uma nova diretriz/recomendação sobre o uso de aparelhos eletrônicos em bebês abaixo dos 2 anos, incluindo televisão, tablets (iPad) e smartphones - usados em 90% dos domicílios, segundo os estudos norte-americanos.

A recomendação? Evitar eletrônicos para bebês. "Screen-free", no termo usado pela AAP.

Segundo os experts, o uso destas formas de mídia não traz nenhuma vantagem cognitiva, além de "roubar horas" de brincadeiras mais importantes.
A Academia chegou a algumas conclusões, muitas delas bem óbvias, mas que a gente finge nem perceber:
- A maioria dos DVDs e programas indicados como "educacionais" para esta faixa etária não tem nenhum embasamento científico para se auto-entitularem assim.
- Brincadeiras não-estruturadas são mais importantes para o desenvolvimento cerebral do que programas eletrônicos, de TV ou DVDs.
- Crianças pequenas precisam e interagem melhor com seres humanos do que telas.
- Assistir um programa de TV com os filhos não faz mal, mas uma brincadeira é sempre mais instrutiva.
- Quando os pais estão assistindo seus programas na TV eles "esquecem" de interagir com seus filhos.
- Crianças abaixo de 2 anos com alta exposição aos aparelhos eletrônicos tem maiores dificuldades ao iniciar a escola,
- Assistir TV antes de dormir afeta negativamente a qualidade do sono.


O que eu acho?
Como em todas as conclusões da AAP, existe um "oito ou oitenta". Nem céu nem terra. É claro que, como uma orientação voltada a todos os públicos, é uma orientação correta.
Mas ainda não é a hora de crucificar o Baby Einstein e congêneres. É importantíssimo que as crianças brinquem e interajam, sempre se soube disso. Mas assistir programas voltados para a faixa etária ou cutucar um iPad com aplicativo específico para a idade não faz mal para nenhuma criança.
Tudo com horários controlados, sem usar estes eletrônicos como babá das crianças pequenas.

Não faz tão mal assim, mas não se esqueça de brincar bastante!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Sling II - Postado por Jairo Len

Um dos meus posts mais comentados (e o que me fez não aceitar comentários anônimos) é aquele sobre sling.
Mais eu rezo, mais eu vejo assombração.
Recebi um e-mail sobre a "Semana Nacional do Incentivo ao Sling", um evento do BWB (Babywearing Brasil, a Associação Brasileira dos Carregadores de Bebê). Nada contra o evento, inclusive ele já aconteceu, no início deste mês. O sling não é proibido, portanto sua promoção, por parte dos interessados, é justa.
Mas, ao receber o e-mail, fui dar uma atualizada na estatística sobre o uso de sling em recém-nascidos, mais especificamente as mortes provocadas pelo seu uso. Mais uma vez fiquei impressionado com casos relatados na literatura médica e das associações médicas. Nem entrei em sites de busca médica. Dei um google com as palavras: sling, death. Faça o teste. De qualquer forma, resumo um pouco duas notícias achadas na busca:
Caso recente, na Austrália, um mês atrás. As autoridades alertam para o uso cauteloso do sling. Na reportagem, o caso de um menino de 2 dias de vida, acidentalmente sufocado pelo sling.
Outra história macabra, de uma criança de 7 dias, sufocada pelo sling no estacionamento de um supermercado: leia na reportagem da CNN.

Voltando às estatísticas: os americanos tiveram 14 casos de mortes de recém-nascidos causados pelo uso de sling nas duas últimas décadas. Três casos em 2009, e este caso acima, no estacionamento do Costco, em 2010.
O uso do sling deve ser muito responsável. Slings certificados, posições corretas, idades mínimas. Slings feitos de pedaços de pano e argola devem permanecer nas enciclopédias, relembrando a nossa época pré-histórica. Foram 15.000 recalls de slings, nos EUA no ano passado, por colocar a vida de bebês em risco. No Brasil, nenhum recall, mostrando que nossos produtos tem máxima qualidade... Pobres de nós...
Atenção às regras básicas de segurança...

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Sarampo em São Paulo? - Postado por Jairo Len

A Secretaria de Saúde de São Paulo investiga três casos suspeitos de Sarampo em São Paulo - todos em bebês abaixo de 1 ano de idade, no bairro do Butantã. Os resultados dos exames saem em 15 dias.
Primeira observação do dia: sugiro que enviem os exames ao DA, A+ ou Fleury: os resultados sairão em 48 horas. Se mandar pro Einstein ou Sirio, em 12 horas a sorologia fica pronta.

De qualquer forma, vamos ao que importa: a vacina de sarampo é aplicada nas crianças com 12 meses de vida. Antes disso, a proteção é pequena, só se dá pelos anticorpos passados pela gestação (não há passagem destes anticorpos pelo leite materno). Para alguém pegar Sarampo, precisa ter contato com outra pessoa com Sarampo, uma doença extremamente sintomática. Estes bebês não viajaram, portanto tem que ter pego aqui em São Paulo. Aonde não há relato de casos há mais de uma década. Se o Sarampo for confirmado nestes bebês, é uma epidemia. Acho difícil, mas não é impossível...

A última epidemia de Sarampo no Brasil foi em 1997, por falta da vacina, culpa do governo, incompetente. Foram 60 mil casos e 60 óbitos, confirmando a histórica mortalidade do Sarampo, 1 para 1.000 casos.
Incompetente também porque neste ano fez uma campanha revacinando crianças já vacinadas entre 1 e 5 anos, enquanto deveria manter toda a população, adolescentes e adultos, vacinados. Jogando vacina no lixo... Parece que o governo parte do princípio que todas as crianças estão com as vacinas atrasadas.
Tive alguns pacientes com 2 ou 3 anos de idade que receberam o reforço da vacina de Sarampo, no posto. Não precisava! Estavam muito bem imunizados. Porque não vacinaram os pais deles?

Enfim... Aguardemos os resultados da sorologia dos bebês. Em quinze dias sai.
Já falei deste assunto em junho de 2011, em outro post.

Recomendo que os adultos estejam com esta vacina sempre atualizada, recebendo doses de "MMR" a cada 10 anos.

O problema é de longa data...

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Ensinamentos - Postado por Jairo Len

Já que o assunto da semana foi Steve Jobs e sua famosa palestra, copio aqui o post de Tutty Vasques, colunista-humorista do Estadão. Achei excelente!

"Não tente repetir em casa" - por Tutty Vasques
Faltou alertar no obituário de Steve Jobs que nenhum jovem sem a mínima ideia do que quer fazer na vida deve tentar seguir, passo a passo, o exemplo do gênio da Apple. Tomar LSD, converter-se ao budismo, abandonar a universidade e se matricular num cursinho de caligrafia não faz de ninguém ícone da era digital.
Currículo de visionário não serve de receita de autoajuda para quem anda correndo atrás de luz própria na escuridão dos tempos. Converse a respeito com seu filho antes que ele resolva reinventar o futuro com uma viagem à Índia, como consta da biografia póstuma do mestre.
Quem já tem idade para estar com problemas no emprego também não deve deduzir que a demissão é o melhor dos mundos só porque Steve Jobs chegou a esta conclusão sobre sua saída da Apple naquele memorável discurso na Universidade de Stanford.
Por fim, mas não menos importante, cabe uma advertência especial a quem acha que educação vem de berço: encaminhar seu filho recém-nascido a adoção também não fará dele um legítimo Steve Jobs.
Fica do seu exemplo de vida um único ensinamento prático: procure alguma coisa pra fazer com amor! E boa sorte!

Não é a pura verdade? O único caminho que garante que a gente ter sucesso profissional é estudar bastante, com muito amor (dos pais e próprio).

A nuvem é para poucos...

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Apps para recém-nascidos - Postado por Jairo Len

Steve Jobs deixou realmente um legado incrível para o mundo - se realmente ele é quem criou tudo isso, se foi só um idealizador, tanto faz. No momento, ele é o homenageado (e mesmo antes de morrer já era - teve reconhecimento em vida).
Para mim ele poderia também ganhar o prêmio Nobel da Paz - afinal, após Jobs, ficou infinitamente mais fácil viajar de carro ou avião com os filhos - nada como um iPad ou mesmo um iPhone para entretê-los em 9 horas de voo...
Dentro da seara da facilitação de vida, a Apple, além de outros milhares de aplicativos, disponibiliza alguns para o "controle" dos recém-nascidos. Coisas que a maioria das mães não escapa: anotar o horário das mamadas, quanto tempo em cada seio, eliminações, sonecas... Chega de livrinhos de anotações, planilhas impressas de excel, folhas soltas. Existem dezenas de aplicativos que fazem isso de forma simples e organizada, em geral de "free" a  U$ 4,99 cada um, versão completa.
Além de controlar o horário das mamadas e tempo em cada seio, alguns aplicativos fazem automaticamente o velho "diário do bebê" - aqueles recordatórios da primeira papinha, primeiro sorriso... com fotos e tudo. Já põe as fotos no Facebook ou Flickr para os avós de longe, faz gráficos de crescimento e assim por diante. Avisam também, com alarme, a hora da próxima mamada.
Há algum tempo já tenho falado com os pais sobre isso e recomendado. E estes apps já existem em sistema Android.
O Total Baby é um deles, já tive retorno, parece muito bom. Baby Log e o Baby Nursing, idem.
Mais simples e práticos, o iBaby Feed Timer e o Milk Monitor são boas opções.

Você vai ver que há dezenas destes aplicativos, basta dar uma busca com "breast feeding" ou "milk". A vida mais fácil, sem dúvidas. E mais interessante.

Como disse Jobs naquela famosa palestra para os formandos de Stanford, "stay hungry, stay foolish". Continue esfomeado, continue tolo. Como as crianças, melhor exemplo.

Total baby, facilitanto a vida...

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Mais Coqueluche - Postado por Jairo Len

Em 23 de agosto postei sobre Coqueluche aqui no blog, alertando para o aumento de casos nos últimos anos e a necessidade dos adolescentes e adultos serem vacinados.
Pânico - Hoje no jornal li uma reportagem sobre o Instituto Butantan, que está desenvolvendo uma vacina "realmente eficaz" contra a coqueluche, porque a vacina disponível atualmente "não protege adequadamente crianças mais novas".
Não sei exatamente se é por falta de notícias ou ignorância, mas o texto da reportagem gera uma preocupação desnecessária. A vacina é bastante efetiva (ainda que não 100%), mas em conjunto com outras medidas, como vacinação dos pais e cuidadores, além de irmãos vacinados adequadamente, protege muito bem os recém-nascidos.
Não se deve ignorar algum adulto tossindo há mais de 15 dias... "É o clima de São Paulo" não é desculpa. Todos temos que nos cuidar, procurar saber se existe uma causa para a tosse. Coqueluche, Micoplasma, Tuberculose, Pneumonia, Sinusite... (parece a música dos Titãs, "O Pulso"...).
Lembro que a vacina tríplice adulto (contra Difteria, Coqueluche e Tétano) está disponível em todas as clínicas particulares de vacinação. Vacine-se.