quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Falta de Sono - Postado por Jairo Len

Com frequencia as mães e pais me perguntam "quantas horas de sono meu filho deve ter por noite?". Existem tabelas (meus pacientes recebem!) sobre a média de horas de sono e sonecas para bebês e crianças. Esta média é o que se costuma dormir, e não o que é obrigatório dormir.
Cada indivíduo crescido tem um ritmo de horas dormidas por noite -  o importante é que a criança não seja privada do sono.
Para isso deve dormir cedo, principalmente se tem que acordar cedo. Ou seja, dormir o quanto queira. Por exemplo, das 20h00 às 6h30 é ótimo. Mas das 23h00 às 6h30, não dá para ser ótimo - principalmente se a criança tem que ser acordada para ir à escola. E infelizmente o ritmo das famílias hoje em dia muitas vezes tem feito com que as crianças durmam muito tarde e tenham que acordar cedo - privando-as do sono necessário.

Importante estudo inglês publicado no Proceedgins of the National Academy of Sciences nesta semana, liderado por Derk-Jan Dijk, da Universidade de Surrey, do Reino Unido, mostrou que a privação de sono (menos de 6 horas por dia), alterou 711 genes cujo desempenho é afetado por esta falta de sono. Genes que estão ligados principalmente ao metabolismo –  controle do gasto de energia do corpo, o que tem relação direta com a obesidade e diversas doenças como diabetes e hipertensão.
"O sono tem uma importância crítica para a reconstrução do corpo e a manutenção do estado funcional, todos os tipo de de danos parecem ocorrer (devido à falta de sono), sugerindo que pode levar a problemas de saúde", revela um dos responsáveis pelo estudo. "Se não conseguimos regenerar e substituir células, então, isto vai levar a doenças degenerativas", acrescentou.

Estas alterações vão mudar a vida do indivíduo no futuro, alterando a expressão do gene (epigenética), mas não vão ser passadas para as gerações seguintes, porque não envolvem mudanças na sequência de DNA do organismo.

Se são 6 horas por noite...se são 8 horas (mito!), isso é muito individual. Muito importante é que, pelo menos para as crianças, não se prive o sono - sendo necessário, para isso, dormir cedo.

Talvez exista uma idade em que isso é verdade...


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Coqueluche - Postado por Jairo Len

A coqueluche é uma das doenças mais antigas que se conhece - e, não obstante existir uma vacina eficaz contra ela - ainda é um problema sério de saúde.
E os casos vem aumentando, no mundo todo. Governos estão preocupados - e muitos deles já iniciaram as medidas de controle.
A coqueluche é uma doença respiratória causada pela bactéria Bordetella pertussis, caracterizada por muita tosse, que dura até 6 semanas, evoluindo com dificuldade e insuficiência respiratória, quando não tratada.
O problema é que, a partir da adolescência, as pessoas perdem a imunidade conferida pela vacina (que é aplicada aos 2, 4, 6 meses, com reforço aos 15-16 meses e aos 5 anos de idade).
Na Clínica Len fazemos o reforço aos 12 anos de idade - o que confere imunidade por mais 10 anos.

Os recém-nascidos são uma população de risco. O problema é que pais, avós, familiares e babás não são vacinados e não tem mais a imunidade conferida pela vacina na infância. Podem estar com coqueluche, mesmo com sintomas brandos - e transmitindo a doença.
Bebês até 4 ou 6 meses (quando a vacina já conferiu imunidade) são uma faixa de enorme risco.

O governo do Brasil, num arroubo raro de preocupação e lucidez (certamente pressionado pela classe médica) vai realizar a vacinação de todas as grávidas do país, rotineiramente.
"De janeiro a dezembro de 2012, 4.453 casos foram confirmados no Brasil. Em 2011, foram 2.258. As mortes também aumentaram: em 2011 foram 56; no ano passado, 74".
Os pais (homens) deveriam também ser compulsoriamente vacinados.

Recomendo que todos os adultos sejam imunizados. Existem duas excelentes vacinas disponíveis, "acelulares", que não tem reações e efeitos colaterais, aplicadas em dose única. Protegem também contra o tétano e difteria.
Na Clínica Len usamos a Refortrix (DPaT), fabricada na Bélgica, pela GSK - vacina indicada para os adolescentes e adultos. As crianças recebem, rotineiramente, as doses de Hexavalente e Pentavalente no primeiro e no segundo ano de vida. Aos 5 anos, recebem a Tetravalente.



Fora do Brasil a campanha é generalizada - por aqui ainda estamos engatinhando - como sempre

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Atestados e Academias - Postado por Jairo Len

Há cerca de um ano uma lei municipal obrigava todos frequentadores de academias a apresentar atestados de saúde a cada 6 meses.
Todos sabemos que a maior parte destes atestados não atestavam "nada" - eram fornecidos pelos médicos sem quaisquer tipos de triagem de saúde, sobretudo para adultos jovens aparentemente saudáveis. Até atestado fornecido por ginecologista alguns homens levavam.

A câmara municipal de São Paulo, num raro ato de trabalho em prol da população, derrubou esta lei. E mais: criou uma nova lei, aonde pessoas entre 15 e 69 anos estão dispensadas de atestado médico para frequentar academias.
A partir de agora, assina-se um termo de responsabilidade, e responde-se o chamado PAR-Q - questionário de prontidão para aptidão física - um interrogatório baseado em modelo internacional. Basicamente 7 perguntas, para responder "sim" ou "não":

1) Algum médico já disse que você possui algum problema de coração e que só deveria realizar atividade física supervisionado por profissionais de saúde?
2) Você sente dores no peito quando pratica atividade física?
3) No último mês, você sentiu dores no peito quando pratica atividade física?
4) Você apresenta desequilíbrio devido a tontura e/ou perda de consciência?
5) Você possui algum problema ósseo ou articular que poderia ser piorado pela atividade física?
6) Você toma atualmente algum medicamento para pressão arterial e/ou problema de coração?
7) Sabe de alguma outra razão pela qual você não deve praticar atividade física?

Apesar de achar estas questões bem toscas, imagino que foram criadas baseando-se em estudos e expertise.
Pode ser o início de uma nova era no Brasil... Cada um se responsabilizar pelos seus atos, ainda mais aqueles que digam respeito a si próprio.
Para que adianta um atestado médico enviado por e-mail, sem o médico nem saber como é a "cara" do paciente?

Estatísticas mostram que o risco de saúde que há em academias é infinitamente menor do que na prática de exercícios por conta própria. Seja no tenista de fim de semana, no corredor eventual (esses são os piores) ou no sujeito que infarta no futebol mensal de fim-de-semana (todos já ouvimos essa história).

Para os menores de 15 anos, ainda há necessidade dos atestados. Acredito que seja mais por motivos legais ou baseados no Estatuto da Criança e do Adolescente, porque em matéria de saúde estas crianças dão de "10" em qualquer outra idade. Não recomendo academia para esta faixa etária, exceto em casos específicos. Ideal é a prática de esportes coletivos, de um hábito, de socialização e criar gosto por se exercitar.

Ainda vai se ganhar dinheiro com isso, infelizmente...


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Gripe (Influenza) e EUA - Postado por Jairo Len

Com a proximidade do Carnaval tenho recebido diariamente ligações a respeito da epidemia de Gripe (Influenza) nos EUA - quem vai viajar para lá está preocupado.

Não há muito a acrescentar em relação ao post de 15 de janeiro, quando falei sobre esta epidemia e a vacina.

Alguns detalhes, porém, são importantes.

Os norte-americanos tratam de forma extremamente responsável a questão da Gripe - tem estatísticas bem claras, semanais, publicadas no site do CDC (Centers for Disease Control).

A atividade da Gripe (ou a ILI - influenza like-illness) tem se mostrado existente e estável na maioria dos estados americanos. Ainda há um número acima da linha de base em relação aos casos novos - por isso é que se considera que há uma epidemia - mas esta linha está estável ou decrescente.
Acredito este controle seja fruto da vacinação, coisa séria por lá.

Recomendo a todos que estão indo para os EUA que recebam a vacina.
No site FLU.GOV há uma pesquia rápida para saber aonde estão vacinando contra gripe - em geral farmácias e clínicas. Caso esteja indo para os EUA, tenha o ZIP Code em mãos e consulte aqui o local aonde há vacinas disponíveis.

Para quem fica por aqui, recomendo que se aguarde a chegada da vacina contra Gripe 2013, que habitualmente chega em março ou abril - vacina que virá "renovada" em relação aos três anos anteriores.

Levar Tamiflu® na bagagem não é minha recomendação, porque o uso deste medicamento é bastante específico e requer exames comprovatórios.
Levar uma farmácia básica para as viagens é sempre recomendado - e os pais de crianças acompanhadas na Clínica Len de Pediatria sabem disso e tem uma lista à disposição.



Seriedade. É assim que os norte-americanos encaram o influenza.