terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Zika e Crianças - Postado por Jairo Len

A Zika é uma doença viral descoberta há mais de 70 anos, causada por um vírus, o Zika Vírus. O primeiro caso isolado foi relatado em Uganda, na Floresta de Zika, no ano de 1947, em macacos.

A transmissão do vírus Zika para humanos se dá exclusivamente pela picada do mosquito Aedes aegypti, o mesmo que transmite a Dengue e a Febre Chikungunya. Ainda não há certeza sobre outras formas de transmissão, como sexual ou através do aleitamento materno.

No Brasil, os primeiros casos foram relatados em 2015.

A DOENÇA - após a picada, os primeiros sintomas podem acontecer em 3 a 12 dias, e são caracterizados por febre, dores no corpo e articulações, dor de cabeça, exantema (vermelhidão pelo corpo), conjuntivite e dor retro-orbital (atrás dos olhos). Os sintomas são mais brandos que a Dengue e Chikungunya, que tem quadro clínico bastante parecido.

Estes sintomas duram 3 a 7 dias, e a aos poucos vão desaparecendo. Não há necessidade de tratamento específico - só são tratados os sintomas, com analgésicos e antitérmicos, e bastante líquido. Muitos dos infectados não desenvolvem sintomas, e a doença passa despercebida.

Teoricamente a Zika é uma doença benigna, porém houve casos relatados de aumento de complicações neurológicas em locais onde houve epidemia de Zika, como na Polinésia Francesa, em 2014. Essa complicação é a Síndrome de Guillain-Barré (SGB) , uma neuropatia potencialmente grave.  A ocorrência é bastante rara, mas não se pode negar a relação da Zika com a SGB.
 
ZIKA e CRIANÇAS

Crianças e adultos são afetados da mesma forma pela doença. A Zika não é mais grave em crianças, não traz maior índice de complicações, não é uma doença mais importante nos mais novos, mesmo recém-nascidos.

O grande problema, que todos sabemos, é a gravíssima relação entre a Zika e gestantes, aonde há confirmação de malformações cerebrais nos fetos. Isso ocorre exclusivamente em gestantes, no primeiro trimestre da gestação. Jamais quando a criança é infectada pelo Zika após o nascimento.
O diagnóstico infelizmente ainda está sendo feito em poucos laboratórios no país, como o Instituto Evandro Chagas. Laboratórios particulares, como Fleury, Delboni, entre outros, ainda não tem o exame disponível.

PROTEÇÃO e PREVENÇÃO

A única forma de evitar a doença é evitar a picada do mosquito. Não há vacina ou medicação profilática contra o Zika.
O uso de repelentes é fundamental nas áreas epidêmicas. Icaridina (Exposis) e DEET (Off, Repelex, Autan) são efetivos e podem ser usados a partir dos 6 meses de idade. Em casos mais importantes, em epidemia, sem outras formas de proteção, o DEET pode ser usado a partir dos 2 meses de idade. Gestantes podem usar a Icaridina sem restrições.
ATENÇÃO: estas faixas etárias são recomendações da Academia Americana de Pediatria e o FDA, ambos norte-americanos). No Brasil, a ANVISA libera em outras faixas etárias.

Todas as outras forma de proteção são bem vindas: telas-mosquiteiras, inseticidas elétricos, inseticidas comuns, velas de citronela...enfim: o importante é se proteger.