sexta-feira, 15 de julho de 2011

Vende-se Leite Materno - Postado por Jairo Len

O assunto é curioso e polêmico.
Nos Estados Unidos, mães vendem seu excedente (ou não?) de leite materno, até pela internet.
Quer comprar? Visite o site da Only The Breast (www.onlythebreast.com) e por U$ 2 ou 3 você leva 30 ml de leite materno para casa.
Em breve, talvez, possamos comprar sangue humano ou medula, diretamente do produtor. Ou, quem sabe, um rim e um naco de fígado ou pele na própria casa do produtor...

Este debate, infindável, é mais uma forma de pressão sobre as mães que não conseguiram amamentar (por seus diversos motivos, como um câncer de mama, por exemplo). Acho que o aleitamento materno no seio da própria mãe (!!!) deve ser estimulado ao máximo, individualmente, com orientações, aparelhagem, remédios galactogogos e muita paciência.
Se não der certo (o que acontece), temos inúmeras fórmulas lácteas disponíveis e de excelente qualidade para substituir.
O leite materno, para ser utilizado por outra criança ("amamentação cruzada") necessita ser pasteurizado, e a doadora deve ser monitorizada, em vários aspectos, tanto sociais como infecciosos. Não é simples. Há necessidade de muita ética ao se usar "fluídos" e "tecidos" humanos em terceiros.

Quando a polêmica xiita sobre "amamentar" surge, acho o fim da picada. Certamente você já ouviu alguém chatear alguém sobre este assunto. "Como??? Você não amamentou???? Noooossssaaa....!"
O assunto da venda de leite materno me incomoda mais sobre este aspecto.

Uma vez dei uma entrevista para uma jornalista, que publicou uma matéria sobre a comparação de nutrizes com vacas, com o título "A pressão de ser uma mãe vaca". Se ler esta reportagem, vai ver que está excelente, bem escrita e clara. Mas você não imagina o número de comentários da reportagem e e-mails que eu recebi, xiitas e ofensivos, sobre o conteúdo. Imagine a jornalista...

Gostaria que estas mesmas pessoas comentassem sobre a venda de leite materno pelas mães. Múúúúúuuuuuuu.....

A polômica não tem fim, nem a cobrança.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Educação e exemplos - Postado por Jairo Len

A seara de "como educar os filhos" é um assunto infindável. Diariamente converso muito sobre isso com os pais, lá na Clínica. Reitero sempre que não há uma forma exata de se educar (traduzo essa frase de uma em inglês, que diz "There is no one size fits all").
Existem alguns pilares que todas as famílias deveriam seguir, mas os detalhes do amadurecimento de cada criança depende muito de como cada pai foi criado.
Procuro - além da experiência do dia-a-dia - ler bastante sobre o assunto.

Recebi anteontem, de uma mãe (plugada, que foi bem educada pelos seus pais, e que me parece educar da forma certa seu filho), um texto bem interessante, da Revista Época.
No texto, a jornalista Eliane Brum coloca alguns pontos importantes (e que você certamente vai se ver de alguma forma neles) que merecem nossa atenção.
Mais do que soluções, o artigo põe questionamentos para os leitores. As soluções dependem de cada um de nós.

Como é um artigo livre, coloco aqui o link:
"Meu filho..." - Eliane Brum.

(Os comentários dos leitores da matéria, no site da Época, são muito interessantes e mostram o tamanho da controvérsia em educação)

Boa leitura!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Cinetose | Enjôo de Movimento - Postado por Jairo Len

Nas férias - mesmo fora delas - uma das queixas comuns dos pais é que seus filhos ficam enjoados, tontos, vomitam, suam frio e tem mal-estar durante as viagens de carro, navio ou avião.
Estes sintomas caracterizam a cinetose (o nome vem do grego kinetos = "movimento").
Mesmo a simples sensação de movimento (como os cinemas 180º) pode causar estrondosas cinetoses. Uma apresentação de power-point com imagens indo de um lado para o outro, idem.

A cinetose é uma doença benigna e chata, porque algumas crianças chegam a vomitar em trajetos curtos e sem muitas curvas, como da casa para a escola. Em estradas tortuosas e passeios de barco, é inevitável para muitos. Montanhas-russas e demais brinquedos girar-gira, idem.
Não se sabe exatamente a causa deste problema, mas tem relação com os líquidos que regem nosso equilíbrio: de dentro do ouvido (os populares "labirintos") e os oculares. Chacoalhou, enjoou.

Como evitar a cinetose?
- Em primeiro lugar, sendo possível, ingerir pouco ou nenhum alimento ou líquido antes da viagem.
- Olhar para a frente, para o horizonte, ajuda.
- Ler ou jogar joguinhos no carro é causa certeira de cinetose.  Algumas crianças enjoam de asistir DVD no carro.
- Em barcos (doce problema) sentar sempre de frente, olhando para frente. Nos barcos, ficar em pé pode ajudar. Em ônibus ou avião, piora.


Tratamento da cinetose - Mesmo com todas as medidas de prevenção, a maioria das pessoas que tem cinetose passam mal em movimento. Algumas medicações de venda livre ajudam muito a prevenção (como todos os remédios, a orientação deve ser feita por um médico):
- Dimenidrinato (conhecido por todos, é o Dramin): seguro e eficaz, sendo que na versão "B6" não dá sono. Nos EUA você encontra de todas as formas possíveis (mastigáveis, fitinhas, gomas...)
- Meclizina: também é ótimo, inclusive eu (que tenho cinetose de carteirinha) uso o norte-americano Zentrip, que é uma fitinha que dissolve na boca.
- Escopolamina: este já é mais forte, quando a coisa está "feia". Não temos no Brasil. Nos EUA chama-se Transderm-Scop, um adesivo para colocar em baixo da orelha, vendido com prescrição. Quem tem cinetose das boas (e os mergulhadores) conhecem bem.
- Ondansetron:outro medicamento de "resgate", quando os vômitos já começaram. É o Vonau Flash.
Não use nada disso antes de orientação médica. Remédios podem ter efeitos colaterais importantes.

Pulseirinhas não funcionam bem contra cinetose.
Medicamentos naturais (como aqueles a base de gengibre) tem pouca ação.

Para os casos mais complicados - aquelas crianças que enjoam no dia-a-dia (e não podem tomar Dramin diariamente pelo resto da vida) existe a terapia de reabilitação vestibular. É uma fisioterapia, com exercícios posturais e visuais feita por fonoaudiólogos, que visa diminuir estes sintomas.

De qualquer forma, leve sempre toalhas de banho e saquinhos no carro...bem como a troca de roupas...Quem tem cinetose, conhece o problema...

Não é exagero...quem tem cinetose, sabe.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Refrigerantes diet e aumento da cintura - Postado por Jairo Len

Um estudo apresentado no congresso da Academia Americana de Diabetes motra uma relação entre o consumo de bebidas diet e a aumento do ganho de peso.
O estudo, realizado pela pesquisadora Helena Hazuda, da Universidade do Texas (UT Health Science Center San Antonio School of Medicine) mostrou que o consumo diário de duas ou mais latas de refrigerantes diet está relacionado em o aumento de peso de da cintura abdominal. Foram estudadas 500 pessoas durante dez anos. Não se concluiu exatamente porque os refrigerantes diet tiveram esta relação com ganho de peso. São vários viéses. A população estudada é norte-americana, de uma única cidade. O refrigentante diet, em si, não engorda. Os hábitos alimentares destas pessoas é que são mais importantes.
Uma das teorias é que o gosto doce (artificial) dos refrigerantes diet levam a pessoa a comer mais, sem saciá-las, por não conterem calorias. Ou por estas pessoas acharem que, por tomarem bebida diet, possam "compensar" na comida.

Enfim...não importa a causa. Vale a discussão. E talvez a informação de que um dos motivos para quem não consegue perder peso pode estar na porta da geladeira...

A culpa é sempre da cereja do bolo...