terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Ortorexia e Rita Lobo - Postado por Jairo Len

"Porque você não ensina maionese com óleo de coco e iogurte, em vez de gema e óleo?" 
1) porque não é maionese; 
2) trate seu distúrbio alimentar

Com essa resposta simples, Rita Lobo ilustrou as centenas de comentários policiadores de quem acompanha seu programa e suas receitas, sempre excelentes.
Que "distúrbio" é esse que Rita sugere tratar?
Chama-se ortorexiao termo descrito para o comportamento obsessivo patológico caracterizado pela fixação por saúde alimentar.

Todos conhecemos um ortoréxico, em geral uma mulher, que já tenha filhos (não?).
Eu, no meu dia a dia de pediatra, me deparo com inúmeros.
E olha que já está dando saudade dos só-vegetarianos.

Sempre fui da máxima que "cada um cuida da sua vida", e em alimentação mantenho isso.
Só não acho que possamos fazer isso com as crianças, em fase de conhecimento e crescimento, aonde alguns alimentos são fundamentais.
E muito menos fazer o ativismo ortoréxico, perturbar os outros com nossas crenças.

Não estou falando, obviamente, de ultraprocessados e enlatados, mas sim de alimentos milenares como arroz, pão, leite, macarrão, carne, farinha branca (toc-toc-toc).
Nem de pessoas com patologias, como a Doença Celíaca ou quaisquer intolerâncias alimentares.

Deixa a Rita Lobo colocar uma receita de maionese com óleo normal e ovos!

É certeza que a avó desse crítico, que viveu feliz até os 90 anos, nem sabia o que era óleo de coco, para a alegria da família dela, que pode confraternizar em almoços de domingo cheio de alimentos mortais, como uma macarronada com bracciola e queijo parmesão (socorro!!!!), um frango assado que não era Korin, com carne assada vermelha, um pedaço de pão italiano para fazer a "scarpetta".

Hoje uma mãe de paciente me contou que, quando há um aniversário na sala da filha, 25% das crianças (que não são doentes) são tiradas da sala na hora do bolo, porque não podem comer farinha e doces. Observação: os bolos levados tem que ser secos e sem cobertura, e não há docinhos. A menina tem 4 anos de idade. Tristes crianças.

Alimentação saudável e formação do paladar são muito importantes, não vamos confundir as coisas. Obsessão tem diagnóstico, chama-se ortorexia.

Meu único post sobre radicalismos alimentares no Facebook  da Clínica Len foi um aprendizado sobre como há pessoas muito loucas com esse assunto, grupos de mães neuróticas, irônicas, agressivas... Depois disso evitei postar, achando que o ativismo, de qualquer forma, é chato.

Mas a Rita Lobo me fez pensar no assunto.
Não vamos deixar os doentes (ortoréxicos) acabar com um dos maiores prazeres, que é comer bem, cozinhar, sentar sem culpa, mas com responsabilidade, ao redor de uma mesa.

E viva a maionese (pode ser a light?), quando fizer parte de uma boa receita. 
O mundo está cada vez mais complicado, não vamos piorar...


Quanta polêmica....