segunda-feira, 21 de março de 2016

Vacina contra Gripe/Influenza 2016 - Postado por Jairo Len

Já está disponível nas clínicas de vacinação particulares de São Paulo a vacina contra Influenza A+B, cepas 2016.

A vacina disponível é a trivalente, contra 3 tipos de influenza:
- A - Califórnia (o H1N1)
- A - Hong Kong (H3N2)
- B - Brisbane 

A vacina quadrivalente, que contempla mais um tipo de influenza B, só deve chegar em meados de abril.

Neste ano tenho visto (aliás, quem tem filhos tem visto...) um aumento dos casos de influenza A nas últimas semanas. Recomendo que já se aplique a vacina trivalente para todos, principalmente crianças, para evitar os casos de influenza A.

A dose é indicada a partir dos 6 meses de idade, não havendo limite máximo de idade.

Não se sabe quando o governo vai iniciar a campanha pública de vacinação, mas recomendo que todos os "grupos" escolhidos para vacinação pública (que não é para todos) sejam vacinados. Reforcem para os pais e avós, cuidadores, gestantes...que não deixem de se imunizar.

As vacinas contra Influenza A+B são bastante seguras e tem raros efeitos adversos, sempre benignos. O mais comum é dor no local da aplicação. Em adultos não-vacinados nos últimos anos a reação pode ser mais sistêmica, com febre. Quem recebe a vacina anualmente não costuma apresentar reações.
Gestantes e nutrizes podem e devem ser imunizadas.

Como uma das cepas de influenza "A" é nova, recomendo que, mesmo quem foi vacinado há menos de um ano já receba, de imediato, a dose de 2016.

Por aqui não estamos tão evoluídos em relação a vacinar em qualquer lugar, mas é fácil achar uma clínica....

segunda-feira, 14 de março de 2016

Piolho - Postado por Jairo Len

Doença pré-histórica, praga bíblica, a pediculose é a infestação do couro cabeludo por piolhos (Pediculus capitis), um artrópode muito mais comum do que se imagina, de distribuição mundial.
Não há dúvida que o número de casos aumentou nos últimos meses, tenho recebido diariamente ligações dos pais estarrecidos com o diagnóstico.

Alguns pontos são muito importantes na abordagem da doença:

- Não existem tratamentos preventivos ou profiláticos. Não adianta usar shampoos piolhicidas semanalmente - pelo contrário - isso pode trazer ainda mais resistência aos medicamentos, fato que já está ocorrendo no mundo todo. Além de dermatites no couro cabeludo, porque estes produtos são agressivos para a pele em caso de uso frequente.

- Crianças e adultos devem ser tratados de forma rigorosa. Iniciamos o tratamento com shampoos à base de permetrina e deltametrina, de tratamento em lavagem única ou por 4 ou 5 dias seguidos. Em casos mais resistentes, crianças maiores e adultos existe a opção de tratamento por via oral (ivermectina). Algumas vezes é necessário repetir o tratamento, caso ainda permaneçam as lêndeas ou piolhos.

- Após o tratamento, o cabelo deve ser "vistoriado" diariamente. Pente fino + condicionador devem ser usados por 5 dias para se certificar da erradicação. Isso contando após o fim do tratamento.

- Considera-se uma criança tratada quando não houver mais piolhos ou lêndeas (aqueles ovinhos que ficam aderidos ao couro cabeludo), a meu ver nos 10 dias seguintes ao tratamento.

- Além do tratamento tópico e oral, é FUNDAMENTAL a higiene ambiental. Fronhas, roupa de cama e toalhas devem ser trocados diariamente até a erradicação, até que criança esteja livre dos piolhos. Ideal é lavar roupa de cama e banho com água quente ou passar a ferro. Carpetes e tapetes do quarto, se houver, devem ser aspirados diariamente. Assim como em outros cômodos que a criança fique.

- As escolas devem ser cobradas, no sentido de avisar os pais em casos de pediculose (avisar a sala toda, para que cada um vistorie muito bem seus filhos). Se há um caso na sala e não for adequadamente tratado, a recontaminação será semanal, a epidemia na classe nunca acabará... 
A meu ver as crianças não tratadas (em que não se percebe a pediculose) são a gigantesca fonte de contaminação dos demais.

- Nos Estados Unidos e Canadá existem centenas de clínicas especializadas em remoção de piolhos, mostrando que o problema não é nem simples, nem só nosso. Por aqui acho que ainda não existem esses serviços. Quem se habilita?

É franquia. Quem se habilita a trazer para o Brasil?

quinta-feira, 3 de março de 2016

Neuroses e Neuróticas Alimentares - Postado por Jairo Len

Quem segue a Clínica Len no Facebook (/clinicalen) acompanhou a gigantesca repercussão de um post que fiz na semana passada. Em cima de uma "charge", esta aí da foto, fiz alguns comentários do que penso sobre a ortorexia alimentar que vem tomando conta de alguns pais (mas principalmente das mães). 

Não foi uma "ode à má alimentação", mas sim uma crítica ao policiamento (através de postagens, textos, fotos...) que vem acontecendo com alimentos que não são proibidos (por lei) nem são considerados venenos pela medicina e pela nutrologia.
Exemplifiquei com as bisnaguinhas, o arroz branco (e vale para tudo normal, não integral), os sucos naturais. Glúten (sensu latu) já tem sido vetado por algumas famílias não-celíacas, a lactose está com dias contados.

Quem trata seus filhos comigo, aqui na Clínica, sabe como é minha orientação alimentar, a busca de - pelo menos até os 2 anos - uma alimentação sem açúcar, sem corantes, sem alimentos ultra-processados ou industrializados. Refrigerantes e néctares deveriam ser proibidos para crianças de quaisquer idades. Obviamente ninguém é a favor de bolachas recheadas pode dentro e por fora nas lancheiras, nem bolinhos prontos.

Costumo dizer que o "única" forma de alimento industrializado que devemos oferecer para os menores de 2 anos são as fórmulas lácteas (para aquelas mães que não conseguiram amamentar, ok??). Aliás, não sei qual é o novo "hit" das dietas radicais, mas algumas mães já vem me questionando se não devemos dar leite "in natura" para as crianças (mesmo abaixo dos 2 anos). A resposta é NÃO, e isso já foi tema de posts anteriores.

Mas o que mais me deixou impressionado foram os comentários, no post, de algumas pessoas. Além de discordar do que escrevo, o que é a base do debate e do aprendizado, foram extremamente grosseiras, mal-educadas ou mal-aprendidas, agressivas, radicais. Gratuitamente, porque todas minhas respostas foram educadas. Xingamentos a mim e aos envolvidos de alguma forma em demais comentários. Só lendo para crer.

Continuo convicto que a alimentação deve ser a melhor possível, mas que os pais (os normais do ponto de vista alimentar) estão ficando loucos pelo que se lê por aí. Cada dia uma novidade maligna.
O que serão dos raros almoços de família?
Uma macarronada (macarrão italiano normal) com almôndegas deve ser um crime. E o bolo de cenoura com cobertura de chocolate? Chamem o conselho tutelar!!! Imagine então o pudim de leite caseiro que sua avó fazia? Leite, ovos, açúcar, leite condensado... 
Não estamos falando de dar isso ao bebê de 8 meses de idade, e sim a uma criança já crescida. De vez em quando, quando a vida em sociedade, em família, entre amigos permitir. 
Que atire a primeira pedra quem nunca deu um picolé de frutas, na praia, para seus filhos (e olha que minha geração sobreviveu às raspadinhas, queijadinhas e chup-chups...)

O mundo está ficando muito chato...e as pessoas mais chatas ainda. Entram na sua "casa", que tem portas abertas, para te ofender.
Eu, particularmente, quando discordo de uma postura, ou ignoro (se julgar que ela não atinge o alvo) ou argumento, baseado em conhecimentos adquiridos nos meios corretos. MAS SEMPRE COM EDUCAÇÃO, um dos maiores valores que me foram ensinados.


O pomo da discórdia, que ofendeu a tantas, gerou os sentimentos mais neandertais possíveis,,,