sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Bullying no RJ - um bom exemplo - Postado por Jairo Len

A meu ver, o Bullying é um problema muito sério e deve ser fortemente combatido. Na maioria das vezes, culpa da omissão das escolas associada ao erro dos pais em não educar seus filhos (como se dizia antigamente, mal educados). A criança, efetora do Bullying, é só uma parte do problema.
No Rio de Janeiro, uma lei estadual recém sancionada obriga diretores de escolas públicas e particulares a notificar a polícia e o Conselho Tutetar em casos de bullying. Se não cumprir a lei, multa de 3 a 20 salários mínimos. Esta pena está prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente sempre que existe omissão aos maus tratos.
O texto abrange violência física e psicológica.
Na minha opinião, o grande avanço é fazer com que as escolas parem de fingir que não veem o que ocorre em baixo do seu nariz. Educação vem de casa e é complementada de forma importante pelas escolas, principalmente no que diz respeito à vida em grupo.
Aos pais, cabe ter um mínimo de sensibilidade e conversar diariamente com seus filhos, perguntar como foi o dia na escola - e perceber, olhando para o filho (e não para o Blackberry) se ele não mudou de semblante e se não desviou o olhar quando você faz a pergunta mais básica do planetas: "-Tudo bem com você?".
Poucas crianças conseguem esconder seus sentimentos. Se há algo de errado, conversar com a diretora da escola.
E as escolas, notificadas pelos pais, vão ter que começar a se mexer.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Tintura de cabelo - Postado por Jairo Len

Para mães amamentando ou mesmo nas meninas adolescentes uma dúvida muito comum é "quando podem" tingir os cabelos (além de outros tratamentos capilares, como hidratação, alisamento, etc...).
As tinturas, em geral, contém amônia, que é um irritante capilar, o vapor da amônia também é forte (quando inspirado) e, dependendo a concentração, pode passar para o leite materno.
Tintura e reflexo não costumo contraindicar, mas sempre peço cautela e uso de bons produtos. Os alisamentos químicos, com formol, são proibidos na amamentação.
Novidade
A L'Oreal acaba de lançar no Brasil uma linha de tinturas permanentes livre de amônia, chamada de Inoa (Innovation No Amonia, inovação sem amônia). Na fórmula nova, o que substitui a amônia é um mix de óleos minerais e monoetanolamina, substância já usada em tonalisantes, mas em menor concentração...
Deve ser mais cara, provavelmente - e já há empresas da concorrência dizendo que o produto é ineficaz...
De qualquer forma, liberada na amamentação e adolescentes.
Para as grávidas, é bom perguntar para o obstetra.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

TDA/H - Um balaio de gato - Postado por Jairo Len

O diagnóstico dos Transtornos e Déficit de Atenção/Hiperatividade é um daqueles assuntos que eu acho que nunca terá uma conclusão, uma concordância ou unanimidade.
Pior do que isso: mais eu me aprofundo, mais eu me confundo...
Existem inúmeras classificações e subtipos, inclusive - mostrando que o diagnóstico é complexo, não basta seguir aqueles critérios simplórios aonde todas as crianças (mais ainda, os meninos) teriam TDA/H... Se você não conhece estes critérios, aí vai uma amostra:
1. Não consegue prestar muita atenção a detalhes ou comete erros por descuido nos trabalhos da escola ou tarefas,
2. Parece não estar ouvindo quando se fala diretamente com ele,
3. Perde coisas necessárias para atividades (p. ex: brinquedos, deveres da escola, lápis ou livros),
4. Distrai-se com estímulos externos,
5. Mexe com as mãos ou os pés ou se remexe na cadeira,
6. Corre de um lado para outro ou sobe demais nas coisas em situações em que isto é inapropriado,
7. Fala em excesso,
8. Tem dificuldade de esperar sua vez...
E assim por diante? O que? Seus filhos são hiperativos???

Então... O diagnóstico é muito importante e nunca deve ser banalizado porque o tratamento é realizado através de remédios com ação direta no sistema nervoso central (como a metilfenidato, cujo nome comercial é Ritalina).

Alguns pontos que eu julgo muito importantes:
As crianças, para serem diagnosticadas de TDA/H, devem ter entre 6 e 12 anos de idade. E, principalmente, devemos observar se há:
- Prejuízo claro no aprendizado escolar
- Baixo rendimento escolar
- Distúrbios comportamentais importante na vida social, familiar, no dia-a-dia, na relação entre a crianças e seus "amiguinhos"
- Baixa auto-estima também é um dado que deve ser considerado.

Crianças que não param quietas, são impossíveis, indisciplinadas, tem o "bicho carpinteiro" provavelmente não mereçam medicação - e isso é muito importante.
Existe um uso excessivo de medicação no mundo inteiro. Quando há uma boa indicação, o remédio é eficaz e trará uma nova qualidade de vida para a criança e a família. O que ocorre é que "todos nós" ficaríamos mais certinhos com o uso da Ritalina, e seu uso vem sendo banalizado.

A avaliação e indicação do uso de remédios devem ser feitos por um ou dois neurologistas, psicóloga e psicopedagoga competente e desvinculada da escola aonde a criança estuda. Mas a suspeita deve sempre vir da escola, avaliando o baixo desempenho e os outros problemas que o TDA/H pode trazer.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

"Álcool Gel não ajudou muito" - Postado por Jairo Len

Uma notícia me chamou atenção - peço a sua atenção para nunca duvidar da eficácia do álcool gel:
"Desinfetar mãos com álcool gel foi pouco eficiente contra nova gripe - 12 de 100 que limparam mãos com produto foram contaminados pelo H1N1. Em grupo que não usou desinfetante, 15 de cada 100 contraíram o vírus."
Um estudo norte americano mostrou que o álcool gel (intensamente usado e divulgado no ano passado) não foi muito eficaz na proteção contra o H1N1...
Isso mostra, única e exclusivamente, que para se evitar doenças importantes que se espalham por secreções do trato respiratório superior (espirros, tosse...) não basta neurotizar e ficar passando álcool gel o tempo todo.
Então, o que previne? É muito mais importante ficar em repouso, longe dos outros, quando está doente... Crianças com febre passam doenças para os outros, independente do álcool gel. Piscinas de natação em academias são excelentes meios de cultura para vírus e bactérias - então quem tem coriza amarela, escarlatina em tratamento, monilíase oral...não deve nadar nestas piscinas...
Consideramos uma criança como "não-contaminante" quando está a pelo menos 24 horas sem nenhuma febre, nem uso de antitérmicos - e em determinadas doenças, mais do que isso. Quando estiver plenamente recuperada, pode voltar ao convívio das outras crianças.

Um estudo realizado na UTI-Adulto do Hospital Israelita Albert Einstein comparou o índice de infecções hospitalares em dois grupos de profissionais de saúde que tem contato intensivo com os pacientes: higienização das mãos álcool gel X lavagem com água e sabão.
Resultados: nas alas aonde houve uso só de álcool gel, os índices de infecção (habitualmente baixos) caíram mais ainda. Comprovaram que o método de higienização é extremamente eficaz.

Neste caso, nem um balde de álcool gel poderia amenizar...

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Suplementos Contaminados - Postado por Jairo Len

Com frequência recebo e-mails e telefonemas de mães e pais preocupados porque seu filho adolescente (14 a 16 anos, mas precisamente) está fazendo academia e o professor (???) recomendou algum tipo de suplemento vitamínico ou alimentar...
Dar ou não dar, eis a questão.
Em geral recomendo não dar. Os suplementos só são indicados para as pessoas que fazem treinamento físico extenuante, profissional (os chamados "atletas de alta performance"). Não para os simples mortais que querem um pouco mais de resistência física ou um pouco de músculos. E esta indicação, para os atletas profissionais, deve ser feita por nutricionistas experts no assunto.

Mais um agravante
Uma estimativa apresentada no 29º Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia mostra que 20% destes produtos contém substâncias proibidas, escondidas e misturadas na sua composição. Como hormônios anabolizantes, sibutramina, esteróides, estimulantes e diuréticos... O índice é mundial, não exclusivo do Brasil.
O que ocorre é que suplementos alimentares são isentos de obrigatoriedade de registro sanitário na Anvisa. O órgão classifica os produtos como alimento, e não medicamento. Não há controle.
Não tente comprar balinha Valda ou barra de fibras na farmácia, porque a Anvisa proíbe. Mas pode comprar suplementos alimentares turbinados com testosterona que a Anvisa não liga, não...

O ideal, portanto, é que estes suplementos não sejam usados pelos adolescentes. Em caso de indicação, procurar sempre produtos de laboratórios mais confiáveis (exemplo: a Nutrilatina) e sempre orientado por nutricionistas.
Salve-se quem puder.
Muito cuidado: O que será que tinha no suplemento?

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Dietas Erradas - Postado por Jairo Len

Vale para pais e filhos. Quem nunca viu alguém próximo (ou você?)  fazendo dietas milagrosas, como não ingerir carboidratos, só proteínas e gorduras, sopas, etc...?
Devemos tomar cuidado. Pessoalmente já vi casos de esteatose hepática e aumento gigante do colesterol por conta de dietas alternativas.
A esteatose hepática é uma doença de acúmulo de gordura no fígado - muitas vezes irreversível.
Um estudo da Disciplina de Endocrinologia e Nutrição da Universidade de Washington mostrou que a ingestão de fast food (não é dieta, mas é um bom exemplo de alimentação errada) tem relação direta com a esteatose hepática. Na verdade, foi avaliada uma dieta hipercalórica com a alta ingestão de gordura saturada e açúcar, concluindo que esta é uma das principais causas de esteatose não alcoólica, doença em que o fígado fica com até 80% de gordura.
Este tipo de alimentação é a de quem come fast food uma ou duas vezes ao dia (adolescentes no cursinho e pós-adolescentes na faculdade, por exemplo). E desbalanceada como a dieta de muitos adultos.

Apesar de assuntos opostos (dietas de isenção de carboidratos e fast food), o post é para mostrar que nosso organismo está preparado sempre para uma dieta equilibrada, com carboidratos, proteínas, pouca de gordura. Bom senso, em outras palavras.
Propaganda sutil sobre esteatose...

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Aonde vamos chegar? - Postado por Jairo Len

Uma notícia que eu li hoje, na Folha.com, me chamou atenção: "a procura por implantes de silicone nas panturrilhas cresceu. No país vice-campeão de cirurgias plásticas (atrás apenas dos EUA), próteses de batatas da perna ocupam o quarto lugar nas preferências delas e deles". No ano passado, mais de 2 mil próteses de panturrilha foram colocadas. E não são pessoas com atrofias, doenças ou problemas de saúde. Na maioria são jovens, cerca de 20 a 30 anos de idade.
Sou grande defensor do livre-arbítrio, mesmo físico - ao mesmo tempo que isso me dá direito de achar ridículo o uso de alargadores, tatuagens exageradas e em áreas como rosto, olhos e pescoço, piercings fora dos lugares habituais e demais cicatrizes indeléveis que alguém possa se fazer. Mas cada um sabe de si e tem direito de fazer o que quiser.
Me espanta é que mais de duas mil vezes no ano passado cirurgiões plásticos (médicos, com 4 anos de residência médica e muitos deles com título de especialista) convenceram pacientes ou foram convencidos a fazer este tipo de procedimento (colocar 180 ml de silicone na panturrilha de alguém bonito e saudável). Fora outros exageros que todos sabemos que existem.
Na Clínica, com certa frequência mães e pais vem conversar comigo sobre sua filha, adolescente (15 anos, na média), quer fazer alguns retoques estéticos (como lipoaspiração, próteses mamárias e até mini-abdome). Só por fins estéticos, sem qualquer indicação por motivos de saúde.
Tenho certeza que esta menina será eternamente descontente com seu corpo.
Diversas vezes ao ano também vemos reportagens sobre mulheres jovens (na sua maioria) que morreram durante um procedimento estético mal feito. Não há mínimo controle governamental sobre as clínicas (vulgo, no meio médico, "bocas-de-porco") que fazem procedimentos estéticos invasivos. Nem sobre os médicos que nelas atuam.
Aproveito para finalizar com um trecho de um texto da Rosely Sayão, sobre o exagerado culto à beleza:

"Quem ganha com essa idéia de vida? O mercado, claro, que vende de tudo para dissimular os sinais da degradação do corpo: cosméticos de todos os tipos, técnicas de dermatologia, nutrição especializada, cirurgias plásticas, pílulas dos mais variados tipos etc. O conceito de saúde na velhice passou a ser associado à idéia de juventude. E o mais cruel: compramos também a idéia de que só envelhece quem quer, ou seja, só fica velho quem não investe pesadamente nesse aparato todo para aparentar jovialidade. Quem não se compromete com esse estilo está condenado ao ostracismo. Assim, a responsabilidade -melhor dizendo, a culpa- pelo envelhecimento, pela decadência física inevitável, pelos sinais do tempo é pessoal. Que ilusão!
Enquanto vivemos com essa ilusão, construímos uma sociedade que não aceita o velho, que não se modifica para reconhecer essa fase da vida. Nosso espaço público não acolhe os velhos; ao contrário, os exclui. No Brasil, não temos ainda o hábito de confiná-los em asilos. Aqui, eles têm sido confinados em suas próprias casas. E tem sido esse o conceito de velhice que temos transmitido às crianças e aos jovens. Não será bom parar para pensar no que isso pode dar?"

Não ficou e-s-p-e-t-a-c-u-l-a-r??